Tarauacá completa 103 anos celebrando a cultura de seu povo

O domingo foi de festa pelos 103 anos de Tarauacá (Foto: Arison Jardim/Secom)
O domingo foi de festa pelos 103 anos de Tarauacá (Foto: Arison Jardim/Secom)

Das infindas belezas naturais ao grande orgulho dos citadinos, Tarauacá comemora uma história de 103 anos com alegria e reafirmação de sua identidade amazônica.

A cidade, nascida do seringal no encontro dos rios Muru e Tarauacá, viu seu apogeu com os grandes navios que carregavam a borracha de suas matas, levando sua riqueza para outros.

Hoje, após o fim dos ciclos da borracha, o fim do isolamento via terrestre, a cidade e seus moradores enfrentam as adversidades da contemporaneidade com muita cultura e a certeza que sua terra é digna de felicidade e muita beleza.

Desde a luta pelo ensino médio (antigo segundo grau) na década de 1970, pela educadora Francisca Aragão Leite, até a busca por um plano de vida sustentável nas florestas do povo Yawawaná, o cidadão tarauacaense escolhe viver em sua terra natal.

Seja no bairro da Praia, seja na praça central ou nas margens do Rio Muru, quando questionados se gostam do lugar onde moram, e a resposta é sempre “sim”. Os motivos são os mais variados. “A moradia, a convivência aqui é muito boa, tem praia”, justifica a comerciante Vera Avilsa.

Na manhã de domingo, 24, o centro da cidade foi tomado para o desfile das escolas e instituições da cidade em comemoração do aniversário. “Olha aí a animação”, diz o espectador Manoel Elias.

Em sua bicicleta, artefato que comanda as ruas da cidade, Manoel fala o que pensa da cidade. Meio tímido em frente à câmera, simplifica ainda mais: “Aqui tudo é bom!”.

Logo mais a frente, durante o ato cívico com as bandeiras sendo hasteadas, as crianças das escolas estaduais e municipais entoam em alto e bom som o hino da cidade: “Tarauacá, teus ideais, com passos firmes iremos conquistar”.

Das belezas naturais

Tarauacá tem belezas naturais e um povo muito orgulhoso de sua terra (Foto: Arison Jardim)
Tarauacá tem belezas naturais e um povo muito orgulhoso de sua terra (Foto: Arison Jardim)

Essa região, com ideais de democracia, conservação e unidade, tem a segunda maior concentração de terras indígenas do estado. São 30 aldeias das etnias jaminawas, huni kuin e yawanawá. Alguns festivais movimentam o turismo nesses locais, a cultura da floresta tarauacaene viaja o mundo.

Floresta que tem uma reserva estadual, que acompanha a BR-364, cheia de gente que vive para o trabalho: o Complexo de Florestas Públicas do Rio Gregório, criado com base na primeira fase do Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE).

Qualidade de vida tem um significado a mais para os cidadãos que moram na zona rural do município. “As matas aqui do Acre têm tantas belezas que as pessoas lá de fora nem imaginam. Tem igarapés, cachoeiras pequenas, peixe na água limpa, montanhas. Eu acho muito bom essas coisas”, diz, com o sorriso aberto, Francisco Alves, morador do seringal Paraíso, no Rio Muru.

Leia também: Tarauacá comemora 103 anos com investimentos em saúde

De volta à cidade

O prefeito Rodrigo Dasmasceno destaca a união do povo para vencer as dificuldades
Prefeito Rodrigo Damasceno destaca a união do povo para vencer as dificuldades (Foto: Abimael Lopes)

O município, que viveu por muitos anos isolado por não haver trafegabilidade na BR-364, desde 2011 vem tendo bons desempenhos administrativos. “Estamos completando 103 anos de uma bela história. Nós temos um desafio muito grande: fazer com que Tarauacá consiga enfrentar um momento de crise e enxergar a prosperidade”, diz o prefeito Rodrigo Damasceno.

Entre as 21 cidades do interior do estado, Tarauacá se destacou por conseguir a maior quantia em recursos da União. Foram R$ 43 milhões liberados para 93 projetos de diversas áreas e setores, com destaque para a educação e a saúde.

Foram R$ 20,3 milhões para ampliação, reforma e construção de novas escolas e melhoria do transporte escolar. Algo bem simbólico foi feito em três das maiores instituições de ensino – foram cem por cento climatizadas com ar-condicionado.

Na saúde, são R$ 8 milhões nos últimos quatro anos. Com o apoio dos governos federal e estadual, novas unidades de saúde foram entregues. No Hospital Dr. Sansão Gomes, a saúde do Estado já realizou cerca de 200 cirurgias em mutirões desde julho de 2015.

Em tempos de crise financeira nas cidades do Brasil, Tarauacá segue a marca do Acre, orienta-se por sua gente para seguir forte. “E nós só temos uma forma de enfrentar este momento difícil: é de unir cada vez mais toda nossa população. É por meio da nossa força em conjunto que vamos transformar adversidade em oportunidades”, diz Damasceno.