Saúde prepara segunda etapa de vacinação contra a polio

Campanha de vacinação contra rubéola e sarampo foi anunciada nesta quarta-feira. Meta é imunizar mais de 230 mil pessoas no Acre

coletiva_osvaldo_900_1.jpg

Os números superaram a estimativa das autoridades de saúde (Foto Angela Peres / Secom)

Ao fechar oficialmente os dados da campanha contra a paralisia infantil, o secretário de saúde, Osvaldo Leal, anunciou em entrevista coletiva os planos estratégicos para a realização da segunda etapa da campanha prevista para agosto ao mesmo tempo em que divulgou o plano de ação previsto para a imunização da população jovem contra a rubéola e o sarampo. A mobilização antecipada foi uma das causas do sucesso da primeira etapa da vacinação contra a poliomielite, que colocou o Acre em primeiro lugar na lista dos Estados com maior cobertura vacinal.

Os números superaram a estimativa das autoridades de saúde. A meta de atingir 95% das crianças menores de 5 anos, determinada pelo Ministério da Saúde, foi superada em 6,09% pelo Governo do Estado. O fenômeno, fruto de um trabalho que envolveu 1.587 pessoas, ocorreu também em municípios cujos resultados anteriores eram abaixo do esperado. Sena Madureira que alcançou em 2007 o índice de 67% do número total de crianças das zonas urbana e rural, atingiu este ano 97,42%. "A diferença foi a estratégia usada este ano, que colocou as equipes de vacinação em áreas de difícil acesso", explica o secretário Osvaldo Leal. O mesmo aconteceu na região do município de Capixaba, que faz fronteira com a Bolívia, onde vivem muitos brasileiros. Em todo o Estado, 166 postos fixos e mais de 300 postos móveis disponibilizaram a vacina contra a poliomielite.

Mais proteção – Pessoas entre 20 e 39 anos, mulheres e homens, serão o alvo da campanha que será desencadeada a partir de 9 de agosto. Esta foi a faixa da população identificada pelo Ministério da Saúde como a menos protegida e que irá receber as vacinas contra a rubéola e o sarampo. A previsão é imunizar contra estas doenças em torno de 230 mil pessoas no Acre. Mulheres com suspeita de gravidez não podem receber a vacina.