Procon orienta consumidores para compras de material escolar

Luciana Lopes revela que realizou pesquisa de preço antes de comprar produtos (Foto: Luciano Pontes/Secom)
Luciana Lopes revela que realizou pesquisa de preço antes de comprar produtos (Foto: Luciano Pontes/Secom)

Em janeiro é comum encontrar papelarias e livrarias lotadas. Com o início do ano letivo, os pais e estudantes começam a busca pelo menor preço de material escolar disponível no mercado. Por isso, neste período é importante que os consumidores estejam atentos às orientações do Órgão de Proteção e Defesa do Consumidor do Acre (Procon/AC) para que não sejam lesados.

Segundo o  Procon/AC, as escolas não podem determinar as marcas do que deve ser comprado e nem acrescentar nas listas itens de utilização coletiva, como resmas de papéis, copos descartáveis, entre outros. Apenas materiais de uso individual do aluno devem conter nas listas escolares.

Segundo a chefe da Divisão de Fiscalização do Procon/AC, Francisca Brito, em caso de identificação de pedido de material indevido nas listas escolares, o pais devem procurar a instituição para efetuar a denúncia e as escolas são obrigadas a realizar a matrícula do aluno.

Para os consumidores em busca das melhores ofertas, Francisca Brito orienta a prática da pesquisa de preços. “É importante que os consumidores façam pesquisa de mercado e deem prioridade às ofertas mais baratas. Também orientamos que os pais não levem as crianças no momento da escolha dos produtos, para evitar compra de materiais desnecessários”.

A funcionária pública, Luciana Lopes, é mãe de três estudantes e realizou pesquisa de preço antes de comprar os materiais escolares dos filhos. “Iniciei a minha pesquisa em dezembro, para que em janeiro eu já soubesse onde o e que comprar. Optei por comprar na primeira quinzena do mês, antes do reajuste de preço”, destacou.