consolidando o mercado

Peixes da Amazônia exportará mais de 400 mil quilos de pescado nos próximos meses

Um dos maiores complexos de piscicultura do país, criado na gestão do governador Tião Viana, a indústria Peixes da Amazônia celebra mais uma fase de sucesso com a exportação superior a 400 mil quilos de pescado nos próximos seis meses, incluindo o Peru como destino.

Consolidando o modelo de parceria público-privado-comunitária, a Peixes da Amazônia produziu, somente em 2017, aproximadamente 870 toneladas de pescado processado, abastecendo os mercados nacional e internacional, tendo o Peru como principal destino além das fronteiras do Brasil.

Um dos destaques da empresa é que ela conta com a contribuição no número de produtores vinculados no fornecimento de pescado, com trabalhadores envolvidos na produção primária, prestadores de serviço na construção de tanques e suas melhorias, serviços de despeça e de transporte, assistência técnica independente como também na expansão de crédito para apoio à produção.

“Em 2018, a Peixes da Amazônia deve acumular em peixes processados cerca de R$ 11 milhões, em alevinos R$ 1,1 milhão e em ração R$ 7 milhões. Esses valores são brutos, pois se levar em consideração os custos para toda essa produção, o acumulado liquido é apenas 5% do valor total”, explicou o diretor-presidente da empresa, Inácio Moreira.

Moreira ressalta ainda que a Peixes da Amazônia é uma empresa que contribui para o crescimento econômico, na medida que a piscicultura se desenvolve no estado. Assim, a contribuição da Peixes será sempre indireta, pois depende do crescimento do setor de um modo geral.

“Também é importante o aporte indireto da Peixes na aquisição de insumos para ração, como milho e farinha de carne, que hoje praticamente é toda adquirida no estado, incentivando a produção e dando oportunidade nova de negócio ao produtor”, explanou Moreira.

A empresa movimenta na economia, apenas entre capital circulante e circulação de renda, mais de R$ 15 milhões. Mesmo com incentivos fiscais das políticas estaduais, a cadeia da piscicultura contribui com mais de R$ 10 milhões em impostos e a Peixes está inserida nesse compromisso fiscal.