Papo Jovem reúne alunos da rede pública no Centro de Línguas

Encontro promove a troca de experiências entre palestrantes e alunos da rede pública (Foto: Astorige Carneiro)
Encontro promove a troca de experiências entre palestrantes e alunos da rede pública (Foto: Astorige Carneiro)

Reunindo estudantes de ensino fundamental e médio, o Papo Jovem realizou seu primeiro encontro de 2015 na manhã desta segunda-feira, 30, no auditório do Centro de Estudo de Línguas (CEL), em Rio Branco.

A proposta dos encontros foi criada durante a 66ª Reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), sediada na capital acreana no ano passado. Devido a boa repercussão da atividade, a diretoria de inovação da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) dá continuidade ao projeto.

O principal objetivo é popularizar as experiências de jovens acreanos em diversas áreas do conhecimento, como ciência, política e projetos internacionais, proporcionando troca de experiências e estimulando o interesse dos convidados.

Cleide Prudêncio, diretora de inovação da SEE, afirma que o projeto é importante para aumentar o contato com os estudantes. “Buscamos trazer questionamentos que ampliem o olhar da comunidade escolar. O Papo Jovem beneficia tanto os palestrantes, que trazem seus relatos, e o público, que adquire novos conhecimentos através do encontro”, disse.

Clécia Karen da Silva, 17, foi a palestrante convidada. Cursando o terceiro ano do ensino médio na capital, a jovem já conta com ações no Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) e no encontro “Empoderamento de Meninas”, realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), além de participar do seminário promovido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), sobre os desafios do ensino médio no Brasil.

“Cada viagem, cada experiência é um leque de oportunidades. Se queremos ver a mudança no mundo, temos que nos tornar essa mudança. Minha meta é fazer com que os jovens tenha noção de seus direitos e deveres, e estimulá-los a buscar chances de expandir os conhecimentos e as vivências”, explicou.