No Dia da Velocidade, Detran orienta sobre os riscos da direção veloz

O excesso de velocidade eleva a probabilidade de o motorista perder o controle do veículo (ascom/Detran)
Excesso de velocidade eleva a probabilidade de o motorista perder o controle do veículo (Ascom/Detran)

Nove de setembro é o Dia da Velocidade, uma data para lembrar que a pressa no trânsito pode causar graves acidentes e, até, mortes.

Para muita gente, dirigir com rapidez é sinônimo de diversão, mas é preciso lembrar que nos perímetros urbanos ou nas estradas, ultrapassar o limite de quilometragem estabelecido por lei pode ter graves consequências.

O excesso de velocidade é considerado pelas entidades de segurança viária um dos cinco principais fatores de riscos de acidentes em todo o mundo.

De acordo com o setor de estatísticas da engenharia do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC) em 2015, só em Rio Branco, 34 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito, incluindo as vias federais. Dessas, 17 tiveram como um dos fatores causadores do acidente a alta velocidade.

Dados da Organização Mundial de Saúde comprovam que pedestres, ciclistas e motociclistas são os mais vulneráveis no trânsito e têm suas chances de sobrevivência reduzidas quando são atropelados ou colidem com um carro em velocidade igual ou superior a 50 km/h.

“Se uma pessoas for atropelada por um veículo 30 quilômetros por hora, ela tem 95% de chances de sobrevivência, mas se a chegar a atingir 70 quilômetros por hora, ela terá menos de 15% de chance de ficar viva”, destaca a engenheira de trânsito do Detran, Naiana Cavalcante.

O excesso de velocidade aumenta o tempo necessário para a frenagem, eleva a probabilidade de o motorista perder o controle do veículo e diminui a capacidade dele se antecipar a possíveis perigos, por isso aumenta muito o risco de acidente e a gravidade das lesões quando ele ocorre.

 Direção defensiva para segurança no trânsito

“Apesar de já haver medidas para controlar o excesso de velocidade dos veículos, o mais importante é que exista uma conscientização sobre os riscos que assumimos quando dirigimos em alta velocidade”, enfatiza o diretor do Detran, Pedro Longo.

Vale lembrar que, depois de construídas, as vias são estudadas para definir uma velocidade máxima segura e compatível com o fluxo de veículos e pessoas do local.

Para fazer um trânsito seguro os condutores devem respeitar os limites de velocidade das ruas conforme determina a sinalização. Assim é possível proteger a todos que dividem o mesmo espaço e ficar atento em vias com alto fluxo de pedestres e ciclistas e manter distância segura dos demais veículos.