Membros do Conselho da Mulher de Acrelândia tomam posse

O Conselho irá atuar na fiscalização e na defesa dos direitos das mulheres do município (Foto: Ludmilla Santos)
Conselho irá atuar na fiscalização e na defesa dos direitos das mulheres do município (Foto: Ludmilla Santos)

A prefeitura de Acrelândia, em parceria com a Secretaria de Estado de Políticas para Mulheres (SEPMulheres), realizou na manhã desta segunda-feira, 28, no auditório da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), a solenidade de posse do Conselho Municipal da Mulher.

O evento contou com a presença de representantes das três esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário, além da presença da sociedade civil. O conselho é composto por oito mulheres, sendo quatro da sociedade civil e quatro do poder público, com as respectivas suplentes.

Para a representante da SEPMulheres, a formação do Conselho Municipal é o fruto de um trabalho de luta ao longo dos anos, objetivando a equidade de gênero e de direitos. “É um fato histórico e importantíssimo para a luta das mulheres. Fico feliz, pois foi na nossa gestão, na SEPMulheres, que isso se tornou realidade”, afirmou Neuda Muniz, da Coordenadoria de Interiorização de Políticas para Mulheres.

O Conselho Municipal da Mulher de Acrelândia terá a finalidade de fiscalizar, controlar e planejar ações que visem a implantação da política municipal de promoção da mulher e as relações de gênero. Os conselheiros não são remunerados, sendo suas atividades consideradas de interesse público relevante.

Acrelândia é a cidade acreana que mais registra casos de violência contra a mulher – dois por semana, segundo a presidente do conselho, Francisca Melo. “O conselho será um instrumento importante no fortalecimento ao enfrentamento a esse crime que rodeia nossa comunidade”, reforçou.

Desde o mês de dezembro de 2015, o município conta com uma sede da Coordenadoria da Mulher que dá suporte às mulheres vítimas de violência.

No ato de posse, o prefeito da cidade assinou ainda o termo de concessão de uso dos móveis cedidos pelo governo do Estado, por meio da SEPMulheres, que compõem a estrutura do espaço.