teoria e prática

Iapen conclui nova turma do Curso de Sobrevivência Policial

O Instituto de Administração Penitenciária, por meio da Escola do Servidor Penitenciário, com apoio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), concluiu nesta quarta-feira, 23, mais uma turma do Curso de Sobrevivência Policial. No total, 17 policiais penais de todas as unidades de Rio Branco e do presídio de Senador Guiomard participaram da capacitação que durou 14 horas, divididas em disciplinas teóricas e práticas.

O objetivo com o curso é capacitar os profissionais para se defenderem fora do serviço, uma vez que durante a escala de trabalho contam com todo o aparato que envolve a atividade de segurança pública, o que é diferente após o término do plantão.

Servidores passaram por 14 horas de capacitação entre disciplinas teóricas e práticas Foto: William Silva

O instrutor Leandro Oliveira explicou que os policiais precisam estar preparados para qualquer situação. Para isso, é necessário o uso de técnicas que respeitem o ordenamento jurídico dentro configura a legítima defesa. “Além dos aspectos legais que são tratados dentro do curso, também são repassadas orientações sobre em que momento fazer a utilização da arma de fogo, respeitando todos os princípios legais da legítima defesa e técnicas avançadas, hoje aplicadas Brasil a fora”, disse.

Curso visa capacitar os profissionais para se defenderem fora do serviço Foto: William Silva

O presidente do Iapen, Arlenilson Cunha, parabenizou a equipe da Escola do Servidor Penitenciário e os servidores envolvidos, destacando o comprometimento dos instrutores e gerente de segurança. “Eles têm abraçado essa causa no sentido de aperfeiçoar e qualificar a cada dia mais os nossos profissionais. O curso de sobrevivência policial passará por alguns ajustes e fará parte da grade curricular da Escola. Isso significa muito para os servidores penitenciários, que têm que a cada dia buscar conhecimento e estar condicionados para a atual realidade dos policiais do Brasil e especificamente do Acre”, ressaltou.