Gameleira Cultural apresenta rodada de memórias, música e dança

O show “Kanarô”, com Shaneihu, é uma releitura de músicas yawanawás (Foto: Divulgação)
O show “Kanarô”, com Shaneihu, é uma releitura de músicas yawanawás (Foto: Divulgação)

O Gameleira Cultura apresenta neste sábado, 21, a programação que encerrará o calendário de atividades de 2013. Rodada de memórias e histórias do Barracão do Quinze, shows musicais e dança do ventre fazem parte do roteiro de apresentações, a partir das 17h30, no deck do Calçadão da Gameleira.

“Kanarô” de Shaneihu Yawanawá, “Lambada do Aquiry”, com Caldo de Piaba, e “Baile do Seringueiro”, com Antônio Pedro, são os shows musicais do roteiro. A Companhia de Dança Oásis apresentará “Fusões”.

O show “Kanarô”, às 18h30, é uma releitura de músicas dos yawanawás. Shaneihu será acompanhado pelos músicos Alexandre Anselmo, Bernard Muller, Maiara Rio Branco, Paulo Nobre e Claudiney Alves, além das vozes femininas de Alyanara Yawanawá e Panany Yawanawá.

“Lambada do Aquiry”, da banda Caldo de Piaba, com Saulo Olímpio (guitarra), Artur Miuda (baixo), Paulinho Nobre (bateria) e João Gabriel (percussão), trará composições autorais do grupo, além da releitura das populares numa ‘levada’ instrumental. “A guitarra se encontra com a bateria e o baixo e conduz tudo, inspirados no funk, no ska e no samba-rock”, disse Saulo Olimpio. O Caldo de Piaba se apresenta às 19h30.

“Baile do Seringueiro”, de Antônio Pedro, é uma das apresentações da noite (Foto: Divulgação)
“Baile do Seringueiro”, de Antônio Pedro, é uma das apresentações da noite (Foto: Gilberto Ávila)

O show “Baile do Seringueiro”, com Antônio Pedro e banda, será às 20h30.  O grupo de nove integrantes utiliza voz, violão, cavaco, reco, triângulo e percussão e apresenta um panorama recreativo dos seringais, onde após os mutirões de roçados, as pessoas se reuniam em festas até o amanhecer.

Para fechar a programação, às 21h30, a Companhia Oásis apresentará números de dança árabe e egípcia.

O Gameleira Cultural é financiado com recursos do governo do Estado, por meio do Fundo Estadual de Fomento e Incentivo a Cultura da Fundação Elias Mansour (FEM).