Fiscalização garante saúde dos animais que participam da Cavalgada

: Servidor do Idaf confere documentação de animais que chegam em Rio Branco (Foto: Cedida)
Servidor do Idaf confere documentação de animais que chegam em Rio Branco (Foto: Cedida)

O Instituto de Defesa Agropecuária e florestal do Acre (Idaf) montou, desde a sexta-feira, 24, nove barreiras de fiscalização agropecuária na entrada de Rio Branco, principais vias da capital acreana e na entrada do Parque de Exposições Marechal Castelo Branco.

A ação faz parte do cumprimento das normas definidas em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Estadual para garantir a sanidade animal durante a tradicional Cavalgada e nos demais eventos que envolvam animais durante a Expoacre, como leilões, exposições, rodeios e provas equestres.

“Todo e qualquer animal que venha se deslocar para a cidade de Rio Branco nós vamos está averiguando com uma de nossas barreiras com veterinários e agentes de fiscalização cobrando os documentos zoosanitários”, afirma Mamed Dankar, diretor-presidente do Idaf.

O esforço do instituto se faz necessário em razão do grande número de animais envolvidos na programação da feira. Somente nas nove noites de leilões, estima-se que sejam comercializados mais de 10,5 mil animais.

Nas barreiras, as equipes do instituto verificam se os animais transportados estão com a documentação exigida. Todos devem estar com a Guia de Trânsito de Animal (GTA). Já os equinos, precisam do exame negativo para anemia infecciosa equina, doença contagiosa que ao contaminar um cavalo faz com que o animal precise ser sacrificado.

Idaf montou 9 barreiras de fiscalização para garantir sanidade animal durante cavalgada e Expoacre (Foto: Cedida)
Idaf montou 9 barreiras de fiscalização para garantir sanidade animal durante cavalgada e Expoacre (Foto: Cedida)