Feirantes apostam na produção de chocolates artesanais durante a Páscoa

Maria aposta na variedade dos produtos para atrair clientes (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Maria aposta na variedade dos produtos para atrair clientes (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Com alta no preço dos ovos de páscoa vendido nos supermercados, os feirantes da economia solidária apostam numa produção artesanal, com sabores regionalizados e valores que cabem no bolso do consumidor, que variam entre R$ 2 a R$ 40 reais dependendo do tamanho do ovo.

Os chocolates artesanais podem ser adquiridos na Feira da Páscoa, realizada no Novo Mercado Velho, das 17 às 22 horas, até o domingo, 27, em Rio Branco. O evento que reúne 111 empreendimentos solidários dispõe de uma tenda que agrega toda a produção de chocolate, facilitando a procura dos consumidores.

Neide comercializa chocolates artesanais para complementar a renda familiar (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Neide comercializa chocolates artesanais para complementar a renda familiar (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Há oito anos, Neide Pinheiro trabalha com a venda de chocolate artesanal para complementar a renda da família. Durante a páscoa, as vendas aumentam. “Vendo nas feiras e por encomenda em casa. Às vezes, o cliente conhece o produto aqui e solicita uma quantidade maior”, explicou.

As feiras de economia solidária, promovidas pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Pequenos Negócios, Prefeitura de Rio Branco, Fórum Estadual de Economia Solidária e Serviço Brasileiro de Apoio aos Micro e Pequenos Negócios (Sebrae), além de gerar um espaço permanente para a comercialização dos produtos acreanos, viabiliza oportunidades de negócios aos empreendimentos que participam.

A feirante Maria da Liberdade Xavier, 34 anos, sustenta a família com renda gerada nos eventos.

Doces regionais também são opção (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Doces regionais também são opção (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Durante a páscoa, as vendas e a produção de chocolate aumentam. Para atrair o consumidor, Maria aposta na variedade dos produtos.

“Amo produzir chocolate, e cada dia fico mais experiente. Toda fruta que vejo que pode ser transformada em doce, eu faço. Tenho chocolates com sabor araçá-boi, graviola, tenho o detox, sem falar naqueles já consagrados: castanha, cupuaçu, coco e morango”.

Sobre a expectativa de vendas, Neide Pinheiro é enfática. “As últimas feiras foram muitos boas, estamos na expectativa de que isso se repita nesta. Apesar das encomendas terem diminuído este ano, durante os quatro dias de feira quero zerar o meu estoque de chocolate e levar muitas encomendas para casa”, disse.

Feira será realizada até domingo, 27 (Foto: Diego Gurgel/Secom0
Feira será realizada até domingo, 27 (Foto: Diego Gurgel/Secom0