formação

Educação promove jornada pedagógica para professores da EJA

A Secretaria de Educação, Cultura e Esportes do Acre (SEE), por meio do Departamento de Educação de Jovens e Adultos (EJA), realizou de terça a quinta-feira, 20 a 22, na Escola Neutel Maia, em Rio Branco, a jornada pedagógica de 2024 para professores da modalidade. Ao todo, 220 profissionais participaram da formação.

Para dinamizar as ações, a jornada foi dividida pelas áreas de conhecimento: matemática e física, linguagens, ciências humanas e ciências da natureza. Além disso, houve formação específica para os professores que trabalham com o primeiro segmento da EJA.

Formação dos professores foi dividida nos quatro eixos temáticos. Foto: Stalin Melo/SEE

Na semana passada, o departamento já havia realizado uma formação para os gestores e coordenadores de ensino das escolas que trabalham com EJA. Para o chefe do departamento, Jessé Dantas, o objetivo da jornada é preparar os professores para trabalhar com a modalidade.

A formação foi destinada tanto para professores do ensino fundamental, anos iniciais e finais, como para os que trabalham com ensino médio. “Dentro das metas estabelecidas, como disse o nosso secretário Aberson Carvalho, este é o ano da educação de jovens e adultos”, afirmou.

Além de Rio Branco, a formação para os professores da EJA foi efetuada também nos outros 21 municípios acreanos. “Estamos seguindo as mesmas diretrizes operacionais, as mesmas metodologias, adequando para a realidade do nosso público, que são os jovens a partir dos 15 anos”, destacou.

Capacitação dos professores foi realizada em todos os municípios do estado. Foto: Stalin Melo/SEE

Jessé Dantas explicou ainda que o processo formativo observa as diferenças entre alfabetizar uma pessoa adulta e alfabetizar uma criança: “Levamos em conta as estratégias de como trabalhar com esse adulto, para que se possa levar essas estratégias para sala de aula”, explicou.

Por isso, a formação possibilita que todos os professores recebam as ferramentas para trabalhar com os alunos de forma igualitária. “Essa metodologia serve para que todos estejam preparados para receber os alunos e que, ao final do ciclo, eles possam ser aprovados com sucesso”, disse.