Créditos para agricultura familiar crescem 165% no Acre

Governos de Tião Viana e Dilma Rousseff ampliam Pronaf, assistência técnica e fomento para produtores familiares do estado (Foto: Acervo/Secom)
Governos de Tião Viana e Dilma ampliam Pronaf, assistência técnica e fomento para produtores familiares do estado (Foto: Acervo/Secom)

Em 2014, os recursos liberados pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para os pequenos produtores do Acre foram da ordem de R$ 80 milhões, o que representou um aumento de 165% em relação aos R$ 30,5 milhões liberados em 2010.

Para este ano, o Pronaf dispõe de R$ 60 milhões, que devem atender agricultores familiares de todos os 22 municípios do Acre, responsáveis hoje pela maior parte dos alimentos produzidos no estado.

O investimento do Pronaf no Acre se soma aos trabalhos de assistência técnica e de fomento que o governo Tião Viana vem prestando aos milhares de pequenos agricultores acreanos para aumentar a produtividade e a produção de alimentos no estado.

Idésio Franke (E) diz que o governo vem aumentando gradativamente o número de produtores e o valor financiado para a agricultura familiar (Foto: Cedida)
Idésio Franke (E) diz que o governo vem aumentando o número de produtores e o valor financiado para a agricultura familiar (Foto: Cedida)

“Os aumentos dos recursos do Pronaf, da produtividade e da produção de alimentos no estado representam o compromisso que as gestões da presidenta Dilma Rousseff e do governador Tião Viana têm com os pequenos agricultores do país e com a segurança alimentar da população brasileira”, diz o economista Idésio Franke, presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Acre (Emater).

Além de receber assistência técnica da Emater, os mais de quatro mil agricultores familiares do estado também contam com o apoio de fomento das Secretarias de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) e da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Seap).

Pelos dados do Pronaf, entre os anos de 2010 e 2014, Tarauacá foi o município que apresentou o maior aumento do volume de recursos de crédito do Pronaf, saindo dos R$ 744 mil liberados em 2010 para os R$ 6,2 milhões repassados em 2014, representando um crescimento de nove vezes.

No mesmo período, Rio Branco e Plácido de Castro tiveram o segundo maior aumento do volume de recursos do Pronaf, com sete vezes mais. Rio Branco pulou dos R$ 4,3 milhões concedidos em crédito em 2010 para R$ 30,5 milhões no ano passado. Plácido saiu de R$ 1,4 milhão em 2010 para R$ 10 milhões em 2014.

Xapuri e Brasileia ficaram em quarto e quinto lugares no aumento de crédito no Acre entre os anos de 2010 e 2014. Xapuri aumentou em 4,3 vezes o volume dos créditos, passando de R$ 1,6 milhão em 2010 para R$ 7,5 milhões em 2014. E Brasileia saiu de R$ 2,2 milhões para R$ 4,1 milhões.

Ações governamentais beneficiam várias cadeias produtivas

Segundo o presidente da Emater, Idésio Franke, a empresa vem aumentando gradativamente o número de produtores e o valor financiado para a agricultura familiar do Acre, principalmente nos projetos de assentamento do Incra, nos polos agroflorestais e nas áreas ribeirinhas.

A Emater também trabalha para o financiamento destinado aos empreendedores rurais, sempre visando aumentar a renda das famílias, fortalecendo-as para que passem a fazer parte da nova classe média rural acreana.

Governo Tião Viana tem ampliado a mecanização em favor dos produtores familiares (Foto: Acervo/Secom)
Governo Tião Viana tem ampliado a mecanização em favor dos produtores familiares (Foto: Acervo/Secom)

Os financiamentos destinados aos agricultores familiares estão relacionados às cadeias produtivas rurais apoiadas pelo governo Tião Viana por meio da Seaprof, Seap, Idaf, Imac, Sema e Sedens. As cadeias produtivas incluem a criação de aves, suínos, peixes, ovelhas e gado e o plantio de milho, banana, mandioca, seringueira, açaí e frutíferas, além de castanha e de madeira manejada.

“O técnico da Emater elabora a Declaração de Aptidão do Produtor e o projeto de financiamento para a atividade produtiva escolhida. Encaminha ao Basa ou ao Banco do Brasil para avaliação e, depois, para a liberação do dinheiro”, explica o presidente da Emater.

Para Idésio Franke, doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília, as ações de assistência técnica e fomento aos agricultores familiares no Acre obedecem a uma determinação do governador Tião Viana, que acredita serem elas instrumentos fundamentais para a modernização da agricultura e a melhoria da qualidade de vida do homem do campo.

Produtos oriundos da agricultura familiar do Acre (Foto: Cedida)
Produtos oriundos da agricultura familiar do Acre (Foto: Cedida)