Objetivo é promover a integração econômica, turística e social na região de fronteira do Brasil com o Peru

sav_2918.jpg

Governador Binho Marques e autoridades acreanas na abertura da semana da Amazônia em Cusco. (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Com 5,5 milhões km² de extensão, a Floresta Amazônica é considerada hoje um dos maiores patrimônios naturais do planeta. Sua área abrange 8 países, sendo que mais da metade – 60% – está inserida no Brasil. E é apostando nessa riqueza natural da região como alternativa para promocão do turismo e da integração econômica e social latino americana, que o Governo do Estado do Acre promove a Semana da Amazônia Brasileira em Cusco, Peru – país que faz fronteira com o Brasil pelo Acre.

O evento começou neste domingo, 24, e reúne empresários de diversos setores, gestores públicos dos estados do Acre, Rondônia e Mato Grosso, e também de estados peruanos, que aproveitam o encontro para troca de experiências e negócios. Pela manhã houve a solenidade de hasteamento da bandeira do Brasil e do Peru na Praça das Armas.

E foi ao som de música brasileira que à noite, turistas e moradores de Cusco puderam conhecer através de fotografias impressas em grandes painéis, um pouco das belezas do Acre, Rondônia e Amazonas. A exposição foi montada na Praça Regocijo, que nesta semana, também será chamada de Praça Amazônia. A Casa Chico Mendes, a cidade de Rio Branco, a atividade do seringueiro, os geoglifos, e outras riquezas acreanas chamaram a atenção da enfermeira Elizabeth Molina, que mora em Cusco. ‘Nunca fui ao Brasil, mas gostei do pouco que pude ver por aqui. É tão perto, tenho sim vontade de conhecer’disse.

sav_2480.jpg

Música e alegria na praça de Cusco. (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Na abertura da exposição, o Governador Binho Marques, acompanhado de secretários de estado; deputados estaduais; do presidente da Aleac, Edvaldo Magalhães; e o Presidente do TJ, Pedro Ranzi; foi recebido pela comitiva peruana formada pelo presidente regional de Cusco, Hugo Gonzales, o Alcade de Cusco, Luiz Flores García, entre outros representantes da região.

Depois da exposição, a comitiva de brasileiros e peruanos conheceu a exposição de produtos regionais do Brasil, mais especificamente dos estados da Amazônia. Nos estandes foram apresentados desde o fogão que gera energia, produzido pelo Governo do Estado, até empreendimentos da região, como a indústria de tintas instalada no Acre, o xarope de guaraná feito em Mato Grosso, entre outros.

sav_2821.jpg

Fogão que gera energia é um dos produtos acreanos na exposição. (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Para o governador Binho Marques este é um momento importante no processo de integração entre os dois países. ‘Pode parecer apenas que estamos promovendo oportunidades de negócios, mas vejo com otimismo o surgimento de uma nova região, com a integração entre povos. Nós estamos tão perto fisicamente, mas faltava a iniciativa de desbloquear alguns entraves burocráticos – o que já avançamos muito com a visita dos presidentes Lula e Alan García em Rio Branco, e também a conclusão da estrada, que hoje está praticamente toda pronta até Porto Maldonado, saindo de Rio Branco, e está sendo asfaltada até Cusco. Temos em uma distância tão pequena que une as belezas da Amazônia e dos Andes. Nossas culturas são diferentes, mas dialogam muito bem. Por isso estou emocionado com as possibilidades e pensar que isso é só o começo. O Brasil e Peru estão agora dando as mãos, graças ao Acre’.

Os representantes do Peru também foram unânimes na defesa da integração com o Brasil, e elogiaram a iniciativa do Acre em promover encontros como este. ‘Estamos em um momento histórico em Cusco. Necessitamos estreitar esse laço de amizade em benefício da nossa população. A expectativa é enorme pela integração. Ao abrir essa estrada, espero que com ela traga esperança de poder fortalecer ainda mais esse intercâmbio. Abrimos nossos braços a todos vocês brasileiros, especialmente os acreanos’, disse o Alcade da Municipalidad de Cusco, Luis Florez García.

O presidente regional de Cusco, Hugo Gonzales, também acredita que com a Interoceânica, se abrem as portas para essa sonhada integração. ‘Espero que a resposta de Cusco seja tão intensa quanto a do Brasil e do Acre nesse processo. E faremos também a Semana de Cusco no Acre, no próximo mês de junho’, anunciou.  

Rota turística Internacional Amazônia-Andes-Pacífico

Cusco está a 750 quilômetros de Rio Branco. A cidade peruana recebe hoje quase 1 milhão de turistas por ano que vêm em busca de conhecer a história da região. Grandes ruínas de pedras contam um pouco do passado da população Inca que dominava um grande conhecimento de arquitetura e astrologia. Passeios como visita ao Vale Sagrado e à ruína considerada uma das novas 7 maravilhas do mundo, Machu Pitchu, atraem o interesse de pessoas de vários lugares do mundo.

sav_2397.jpg

Cusco recebe cerca de 1 milhão de turistas por ano. (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Tamanho potencial turístico que vêm crescendo nos últimos anos cria um mercado promissor para os estados vizinhos da Amazônia brasileira. O Governo do Estado, através da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer (SETUL), promove durante a Semana da Amazônia Brasileira em Cusco, a apresentação da Rota Turística Internacional Amazônia-Andes-Pacífico . O objetivo é que com a conclusão da Interoceânica, se abram as portas não somente para o comércio, mas também para o turismo, onde os brasileiros tenham a oportunidade de conhecer o Peru, e vice-versa.

A Semana da Amazônia Brasileira em Cusco se estende até a próxima sexta-feira, 29, com rodadas de negócios, seminários sobre a Amazônia, além de uma programação cultural com artistas acreanos.

{xtypo_feed}Galeria de imagens{/xtypo_feed}

{gallery}galeria_acre_semana_250509{/gallery}