manutenção e recomposição

Acre é um dos estados mais avançados na política de regularização ambiental e anuncia dados positivos durante a COP28

Diante de 190 países que estão reunidos na Conferência de Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas – COP28, em Dubai, nos Emirados Árabes, o Acre tem apresentado boas notícias relacionadas às ações estratégicas de combate às mudanças climáticas.

Acre leva bons resultados para a COP28, como redução do desmatamento e aumento de cadastros no Programa de Regularização Ambiental. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Após o anúncio da redução de 71% dos alertas de queimadas e da redução de 41% do desmatamento, se comparado a 2022, feito pelo governador Gladson Cameli nos primeiros dias de evento, nesta quarta-feira, 6, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Acre (Sema) apresentou dados positivos relacionados à regularização ambiental: mais de 46 mil cadastros foram realizados no Cadastro Ambiental Rural – CAR, totalizando 14.343 hectares de área cadastrada. Além disso, pelo Programa de Regularização Ambiental (PRA) mais de 480 termos de compromisso ambiental foram firmados e mais de 7.900 hectares de áreas de Reserva Legal estão em processo de recuperação.

“O Acre é um dos estados mais avançados em regularização ambiental, o que é muito positivo, pois garante a manutenção e recomposição das áreas de preservação permanente e reserva legal”, destacou o diretor da Sema, André Pellicciotti, durante o painel “Cenários e desafios da regularização ambiental”, apresentado no pavilhão do Consórcio Interestadual da Amazônia (CAL), nesta quarta.

Painel debate “Cenários e desafios da regularização ambiental”. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Além do diretor da Sema, representantes dos demais estados que compõem a Amazônia Legal estavam presentes, e o diretor de Planejamento e Gestão Estratégica do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Henrique Dolabella.

“O Consórcio da Amazônia Legal está de parabéns por ter desenvolvido esse nível de maturidade, fomentando a cooperação permanente entre os estados e fazendo com que a região toda avance na questão da política ambiental. É importante ancorar o processo de cadastramento em uma empresa pública de tecnologia para evitar períodos sem progresso. Temos o Cadastro Único como bom exemplo de resultado e queremos replicar esse modelo para o Cadastro Ambiental Rural”, comentou Henrique Dolabella.