Acre desenvolve educação criativa

(Foto: Diego Gurgel/Secom)
O trabalho desenvolvido pelo Instituto é uma referência na região Norte (Foto: Diego Gurgel/Secom)

No centro da capital acreana, um núcleo pensante com pouco mais de um ano de fundação constrói com sucesso um novo modelo de ensino acadêmico no estado. Várias crianças e adolescentes encontram no Instituto de Matemática, Ciência e Filosofia (IMCF) uma atraente troca de saberes.

Num espaço amplo e agradável, a robótica e a matemática divertida dialogam de forma criativa com as peças do xadrez sobre a mesa. Nas paredes da instituição, dois quadros chamam atenção: o primeiro é de Isaac Newton, filho de agricultores e um dos principais nomes da matemática, física e astronomia.

No segundo, uma foto gigante estampa o rosto de Albert Einstein, uma das mentes mais respeitadas no mundo da ciência. O instituto trabalha de forma evolutiva, voltado para o futuro, promovendo experiências filosóficas, científicas e lógicas de maneira leve e precisa. Na grade acadêmica, além da robótica e da matemática, outros 12 cursos são ministrados pela parte da manhã e da tarde.

“Com o trabalho desenvolvido aqui, podemos estimular os talentos encontrados nas escolas e aprimorar o desenvolvimento pessoal e acadêmico dos estudantes da rede pública”, afirma o coordenador Alessandro Nasserala.

O professor de matemática Mustafá acrescenta: “Com o passar do tempo a busca pelo conhecimento ganha novos ângulos e atualizações. Precisamos, como educadores, acompanhar essa evolução no intuito de contribuir da melhor maneira possível com o desenvolvimento intelectual desses jovens”.

A seleção

Entre 2012 e 2015, alunos acreanos que fazem parte do núcleo acadêmico conquistaram 204 medalhas (Foto: Cedida)
Entre 2012 e 2015, alunos acreanos que fazem parte do núcleo acadêmico conquistaram 204 medalhas (Foto: Cedida)

Atualmente, 700 alunos da rede pública fazem parte do seleto time estudantil de maior destaque no estado. Eles conseguiram ingressar no IMCF através de sorteio e bom desempenho escolar. São estudantes de 58 escolas públicas que às terças e quintas-feiras são orientados por um grupo de sete professores de nível superior.

Além de Rio Branco, o instituto atua em Senador Guiomard, Sena Madureira, Brasileia, Epitaciolândia, Manoel Urbano, Porto Acre e Acrelândia. Com apoio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte, sua meta é atender todo o estado nos próximos anos.

O instituto tem como objetivo proporcionar à classe estudantil acreana formação básica, pesquisa e proficiência necessárias à formação profissional para inserir o aluno no mercado de trabalho e no desenvolvimento do Acre.

Cursos específicos

Com o bom resultado obtido nas Olimpíadas de Matemática da Rede Pública (OBMEP), a equipe pedagógica começou a acrescentar novos cursos e atividades específicas, objetivando aumentar a oferta de ensino.

Além da matemática divertida e da robótica, oferece cursos como química do cotidiano e virtual, estudo das células, informática e filosofia existencial.

“A professora da escola onde estudo observou a minha facilidade de lidar com os números. E depois de alguns testes, consegui essa oportunidade de aprofundar meus conhecimentos, mas aqui não estudamos somente matemática, também fazemos amizades”, declarou o aluno de lógica matemática Davi Monteiro, que mora em Senador Guiomard.

Reconhecimento nacional

O ex-ministro de Assuntos Estratégicos do Brasil Roberto Mangabeira Unger, que por muitos anos atuou como professor da Universidade Harvard, dos Estados Unidos, depois de uma visita ao estado gravou um vídeo e publicou nas redes sociais, no qual ele fala sobre o que chamou de “grandes experimentos” na economia e na educação acreana.

“O Acre experimenta programa avançadíssimo que não existe nem nos países mais ricos do mundo”, destacou.

 Resultados da OBMEP

premiacoes-obmep-acre-2012-2015A preparação dos alunos para as Olimpíadas de Matemática da Rede Pública foi o pontapé inicial para a criação do instituto. Antes, era reduzido o número de estudantes que apresentavam interesse em participar da competição, mas com apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação, os alunos se destacaram nas competições promovidas pelo Ministério da Educação e o instituto se tornou referência na Região Norte.

Entre 2012 e 2015, alunos acreanos que fazem parte do núcleo acadêmico conquistaram 204 medalhas e receberam mais de 700 menções honrosas.

“Quando iniciamos esse trabalho, o nosso intuito era ajudar na preparação dos alunos que iriam participar da olimpíadas, mas o projeto ganhou força e reconhecimento, e atualmente segue contribuindo para a formação acadêmica dos jovens”, comentou o coordenador Nasserala.

Mais informações na página do Facebook do Instituto de Matemática, Ciências e Filosofia do Acre e presencialmente na sede do instituto, localizado à Rua Rui Barbosa, centro de Rio Branco (antigo Mira Shopping).