Xapuri se prepara para mais uma Festa de São Sebastião

São esperados entre 10 e 15 mil romeiros para a procissão do dia 20 (Foto: Gleilson Mirada/Secom)
São esperados entre 10 e 15 mil romeiros para a procissão do dia 20 (Foto: Gleilson Mirada/Secom)

A cinco dias do Dia de São Sebastião, a movimentação já é intensa em Xapuri. As vagas nos poucos hotéis e pousadas já estão praticamente esgotadas. Também já estão quase que todos os pontos reservados pela prefeitura para a instalação das barracas para os comerciantes ambulantes.

Na igreja de São Sebastião o trabalho de organização de festa é incessante. Tanto a equipe que cuida da parte litúrgica das celebrações, quanto àquelas que organizam os bingos e leilões se esforça para que tudo aconteça segundo o planejamento. A paróquia de Xapuri ainda disponibiliza aos romeiros o serviço de restaurante popular, servindo comida regional a preços convidativos.

As novenas iniciaram no dia 11 e se encerram no dia 19, véspera da grande procissão. Todas as noites, após as novenas, são realizadas várias rodadas de bingos e leilões. As prendas são doações feitas por fiéis do santo em todo o município. A programação da paróquia de Xapuri prevê também, para o próximo dia 18, a apresentação de um musical retratando o martírio de São Sebastião. A peça teatral terá como palco o Painel dos Mártires, localizado ao lado da igreja matriz.

A estimativa do município é receber entre 10 e 15 mil romeiros para a procissão, no dia 20.

História e fé se unem em uma das maiores manifestações religiosas do Acre

4288896036_3406d80baf_o
Estima-se que o município receba entre 10 e 15 mil romeiros para a procissão (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Seis meses antes que Plácido de Castro tomasse a então Mariscal Sucre, controlada pelos bolivianos, no dia 6 de agosto de 1902, dando início à Revolução Acreana, um grupo de cem pessoas saiu em procissão pelas ruas do vilarejo. Começava assim uma das mais importantes manifestações religiosas do Acre: a festa de São Sebastião, o santo padroeiro de Xapuri.

Não existem registros documentais das origens da procissão de São Sebastião na cidade. As informações são baseadas em depoimentos de pessoas da época que foram sendo repassadas às novas gerações. A história conta que a imagem do santo chegou a Xapuri em 1912, vinda da Itália, antes de ser embarcada para o Brasil pelo poeta e escritor Gabrielle D’Annunzio, autor do livro “O Martírio de São Sebastião”.

No decorrer de 112 anos de realização ininterrupta, a festa do santo padroeiro de Xapuri cresceu e extrapolou a esfera religiosa. Os dias de janeiro que antecedem a data da grande procissão são marcados pela chegada de uma grande multidão de romeiros, turistas e comerciantes à cidade que, por vezes, triplicam o número de habitantes da zona urbana.

Xapuri se transforma nesta época em um grande centro comercial temporário, onde as ruas são fechadas ao trânsito de veículos para dar lugar aos tradicionais “marreteiros”, que se deslocam de vários locais do Acre e de outros Estados. As festas noturnas começam a acontecer a partir desta quinta-feira, 15, em vários pontos da cidade.