Venda subsidiada de pintos de 1 dia melhorou genética aviária do Acre

Na Fazendinha, denominação dos Sistemas de Produção Sustentáveis, produtor avalia como é possível ganhar com a diversidade

dsc_0108_interna_010808.jpg

A comercialização de pintos de 1 dia a preços acessíveis distribui, em quatro anos, cerca de 500 mil aves de raça pelos vários municípios do Acre. O programa de melhoramento genética da avicultura praticamente acabou com a importação de frangos e galinhas caipiras de Rondônia, até pouco tempo um grande fornecedor do mercado de Rio Branco. Cada pintinho é vendido a R$1, valor bastante inferior ao praticado no mercado.

A Secretaria de Agricultura e Pecuária (Seap), responsável pelo programa, calcula que ao menos 70% dos pintos comercializados chegaram à fase de abate. "Antes do programa, galinha caipira pesava 1,5 quilo, em média, no máximo. Agora, a média passa dos 2,7 quilos", disse Mauro Ribeiro, da Seap.

Em municípios de baixo IDH, o programa distribui ave de graça aos produtores.

Pintos de 1 dia, aves jovens e adultas estão expostas na Fazendinha, o espaço dos Sistemas de Produção Sustentáveis. Nele, o produtor tem como avaliar a introduçãoa de produtos e tecnologias em sua propriedade: "o produtor passa e diz: eu posso fazer isso na minha porque com preservação e  diversidade é possível ganhar dinheiro", explicou Ribeiro.