Usuários de implantes e próteses auditivas participam de encontro

Profissionais da Saúde, Pacientes e familiares de Paciente no Encontro (Foto: Raylanderson Frota / Sesacre)
Profissionais da Saúde, pacientes e familiares de paciente durante o encontro (Foto: Raylanderson Frota / Sesacre)

O primeiro Encontro de Usuários de Implante Coclear e Próteses Auditivas, de Rio Branco, ocorreu na tarde de sábado, 19. O local do encontro foi o Via Verde Shopping, e contou com a participação de pacientes que já receberam o implante e candidatos a receber o aparelho, familiares e equipe médica do programa Saúde Auditiva do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco.

A reunião teve como objetivo realizar troca de experiências entre os pacientes. Para isso, foi montado um grupo nas redes sociais com o intuito de auxiliar e divulgar mais informações sobre a realização dos transplantes.

Antes do aparelho eles não conseguiam ouvir de forma clara e após o uso do aparelho tudo melhorou (Foto: Raylanderson Frota / Sesacre)
Antes do aparelho eles não conseguiam ouvir de forma clara, mas após o uso do aparelho tudo melhorou (Foto: Raylanderson Frota / Sesacre)

“O programa Saúde auditiva realiza o acompanhamento dos pacientes, que passam pela triagem com a equipe multiprofissional do programa, formada por fonoaudiólogos, otorrinolaringologista e assistente social, para saber qual o melhor aparelho a ser utilizado e, em seguida, encaminhar para o transplante pelo Tratamento fora de domicilio (TFD)”, informou Indira Viana, gerente do Programa Saúde Auditiva.

O Implante Coclear é um aparelho que oferece informação sonora a indivíduos com perda auditiva profunda bilateral, com o objetivo de ajudar na sua comunicação. O implante exerce a sua função por meio de estimulação elétrica direta das fibras do nervo auditivo por elétrodos em pacientes em que o ouvido interno está danificado. O implante tem dois componentes: um interno, composto por um grupo de elétrodos e um aparelho receptor; e um externo composto por um microfone, processador da fala, um codificador e um transmissor. A comunicação entre os componentes externo e interno é realizada por meio de ondas de rádio FM transmitida pela pele intacta (pericutâneo).

Para Eliane Saldanha, mãe de uma paciente, esse encontro é muito importante. A filha já realizou o implante e o filho é candidato à realização.

“Para mim é muito significativa essa troca de experiências com quem usa implantes e aparelhos como meus filhos. Antes, eles não ouviam quase nada, agora já melhorou bastante”, disse Eliane.

O grupo é composto por 23 pessoas, das quais nove já receberam o implante e quatro são candidatos a receber. Para a realização deste procedimento os pacientes passam por uma bateria de exames para avaliar se terão ou não algum risco durante a cirurgia. Todo o processo é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do programa.

A fonoaudióloga Lorena Brito, residente em Porto Velho, participou do encontro. “Já realizo um acompanhamento com 15 pacientes implantados, eu mesmo realizei o encaminhamento deles e espero que em Rio Branco possa estar contribuindo com as minhas experiências e também poder aprender mais coisas para que eu possa contribuir com meus pacientes em Rondônia.” disse.