Uma manicure de sucesso em Feijó

Iris, com o marido, construiu e mobiliou a casa com a renda do trabalho (Foto: Onofre Brito)
Iris, com o marido, construiu e mobiliou a casa com a renda do trabalho (Foto: Onofre Brito)

Um dia, em 2011, Iris Alves ficou aborrecida quando foi um salão de Feijó fazer as unhas pela manhã e teve que esperar até as 14 horas para ser atendida. Por essa época, ouviu falar que a Secretaria Estadual de Pequenos Negócios (SEPN) estava dando um curso de manicure e pedicure na cidade. Ela resolveu se inscrever para fazer as próprias unhas.

Embora não pensasse em se profissionalizar, antes mesmo de terminar o curso já tinha clientes. “As pessoas começaram a me ligar e eu passei a gostar do negócio”, conta. A SEPN foi mais longe: deu a ela as cadeiras do cliente e da manicure e ainda uma maleta com produtos. Atendendo de oito a nove clientes por dia, a preços de R$ 15 a R$ 20, Iris se diz satisfeita com a ocupação.

Uma de suas clientes é a professora aposentada Irineide Lima, que mora em Rio Branco, mas quando vai visitar Feijó, onde tem parentes, sempre requisita os serviços da manicure. Irineide dá o tom do grau de satisfação dos clientes: “É a melhor manicure de Feijó, além de cobrar um preço acessível. Conseguir marcar hora com ela é difícil”, disse.

Com o novo trabalho, Iris viu sua vida melhorar. Junto com o marido, Luis Leal da Costa, terminou de construir sua casa e a mobiliou.  O plano agora é em breve comprar uma moto para dinamizar o atendimento.

Emocionada, a manicure agradece: “Estou conquistando coisas que eu nem imaginava. Agradeço em primeiro lugar a Deus, e em segundo lugar à Secretaria de Pequenos Negócios, que veio abrir essa oportunidade para a gente”.