Tião Viana diz ao El País que Acre vive cheia histórica na região

Governador conta que situação é crítica, mas o governo une esforços para ajudar a população (Foto: Sérgio Vale/Secom)
Governador conta que situação é crítica, mas governo une esforços para ajudar a população (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Em entrevista concedida ao jornal El País, da Espanha, o governador Tião Viana afirmou que o Acre passa pelo maior registro histórico de enchente na região do Alto Acre. E a situação alarmante que atinge centenas de famílias nas cidades de Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri também se estende para Rio Branco e Tarauacá, com a cheia dos rios Muru e Envira.

Tião Viana destacou que o governo desenvolve um trabalho intenso de atendimento à população, em conjunto com as prefeituras, a bancada federal e outras autoridades envolvidas. Na terça-feira, 24, Tião Viana encaminhou à presidente Dilma Rousseff um documento solicitando a intervenção do governo federal no estado. Entre as solicitações, consta a restrição de imigrantes haitianos que entram pela região de fronteira.

“Solicitamos o apoio do governo federal para alertar aos haitianos que vierem para o Brasil que busquem outras rotas para entrarem no país, pois o estado está sem condições de acolhê-los”, explicou o governador. Outra medida foi a solicitação de mais mil casas do programa Minha Casa Minha Vida para a região do Alto Acre.

O governo, em parceria com as prefeituras, tem assegurado à população medicamentos, colchões, cestas básicas, e medidas preventivas a acidentes. A assistência a produtores que perderam animais e plantações também está sendo garantida. Nesta sexta-feira, 27, o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, chega ao Acre para acompanhar a situação.

Em Rio Branco, Tião Viana contou que cerca de duas mil pessoas estão desabrigadas, e esse número só não é maior em razão da entrega de casas feitas pelo governo, por meio do Minha Casa, Minha Vida, que tirou 7.057 pessoas das áreas de risco para viverem em empreendimentos com saneamento básico adequado e dignidade de vida. Em breve serão entregues mais mil moradias na capital.

Rio Madeira oscila, mas ANA garante estabilidade

Quanto a uma possível cheia no Rio Madeira, o governador disse que, segundo informações da Agência Nacional de Águas (ANA), o Rio Madeira está oscilando entre 30 e 50 centímetros da lâmina d’água na região da Velha Mutum, em Rondônia. “Ontem começou a chover muito nos rios Beni e Madre de Díos, que concentram as águas do Rio Madeira, mas, apesar da previsão de chuvas, a ANA indica que não ocorrerá cheia como a de 2014”, contou Tião Viana.