Indústria acreana

Suframa reconhece exemplo de desenvolvimento no Acre e estuda levar a outros estados

Tonletino afirma que a Dom Porquito é um modelo a ser adotado em outros estados (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Em agenda com o governador Tião Viana, nesta quarta-feira, 13, o superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa) Appio Tolentino afirmou que no Acre está um importante modelo de desenvolvimento a ser replicado em outros estados. Ele afirma que a indústria de suínos Dom Porquito é um exemplo de crescimento econômico e social.

“Fiquei muito feliz de ver no Acre um exemplo de crescimento econômico e também social, que é a Dom Porquito. Que eu sei ser fruto de uma política de desenvolvimento do governador Tião Viana”, disse Tolentino. Sua equipe esteve no Acre nos últimos dias pelo programa Suframa Itinerante, que está percorrendo os estado da região amazônica.

Seguindo para Rondônia já nesta quarta-feira, Tolentino afirma ainda que a Dom Porquito “é um projeto fantástico. Essa indústria precisa ser mostrada para a região como mais uma alternativa para que possamos fazer da Amazônia um bloco econômico mais forte e que interaja mais entre si e com nossos irmãos fronteiriços”.

O governador agradeceu o empenho do novo superintendente e apontou que o contingenciamento de recursos por parte do governo Federal à Suframa é prejudicial para o desenvolvimento da região. Atualmente, o contenção de recursos está em 58%. “A Suframa é uma base para o desenvolvimento da Amazônia. Não há fronteira entre nós, estados da região Norte”, declarou Viana.

Um acórdão (Nº 2388/2017) do Tribunal de Contas da União (TCU), determina que em 90 dias, medidas sejam tomadas pelo Ministério da Indústria e Comércio Exterior e Ministério da Integração Nacional estabeleçam caminhas para assegurar o pleno trabalho da Suframa.

Durante a reunião, Tolentino apontou também o indicativo de que a próxima reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS) seja realizado no Acre, já em 2018.

A Suframa é uma autarquia vinculada ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços que administra a Zona Franca de Manaus (ZFM), com a responsabilidade de construir um modelo de desenvolvimento regional que utilize de forma sustentável os recursos naturais. Assim, assegurando viabilidade econômica e melhoria da qualidade de vida das populações locais. O órgão atua em toda a Amazônia Ocidental e no estado do Amapá.

A indústria acreana

O projeto Dom Porquito foi criado em 2011, durante o primeiro mandato do governo de Tião Viana, em uma iniciativa que ajudaria a consolidar um novo modelo econômico no Acre: a parceria público-privada-comunitária. A empresa é uma Sociedade Anônima em que a Agência de Negócios do Acre tem 37% das ações e os demais acionistas, 63%. Os investimentos, só no frigorífico foram R$ 62 milhões, enquanto o complexo todo já englobou cerca de R$ 86 milhões.

Os agricultores familiares, organizados em uma cooperativa, são responsáveis por realizar a engorda e cuidados para o crescimento do animal, que seguirá para o abate. A ração e orientações técnicas são fornecidas pela empresa.

O frigorífico, parte essencial para o projeto, foi inaugurado em 2015, com uma grande festa – com a presença do ex-presidente Lula -, do governador Tião Viana e de cerca de quatro mil produtores de todo o estado, em Brasileia, durante o Primeiro Encontro das Cadeias Produtivas Sustentáveis do Alto Acre.