Senador Tião Viana lança o livro “Heróis que salvam”

Obra narra a construção da saúde pública com destaque ao trabalho de médicos, parteiras e outros pioneiros da medicina no Acre

tiaumviana_livro.jpgHeróis que salvam é o título do livro do senador Tião Viana lançado na última sexta-feira, 20, no Theatro Hélio Melo. A narrativa simples resgata a história das dificuldades encontradas pelos médicos que atuaram no Estado nos séculos XIX e XX. O processo todo de criação da obra consistiu em coordenação, revisão, organização dos dados e elaboração do texto que demorou cerca de dois anos para ser finalizado.

Autoridades e convidados compareceram o Theatro Hélio Melo para apreciar o lançamento de Heróis que salvam. Jornalistas, médicos, escritores, amigos, o vice-governador Cézar Messias e o ex-governador Jorge Viana teceram comentários sobre o livro durante a programação de lançamento. Tião Viana foi elogiado não somente pela obra, mas por sua atuação no Congresso Nacional, que deixou o nome do Estado do Acre.

A elogiada publicação é um relato da história de vida de 19 médicos, entre eles, a doutora Laélia de Alcântara, os doutores Mário Maia, Ary Rodrigues, Barral y Barral, Tetsuo Kawada, Labib Murad e tantos outros que munidos de sentimento humano contribuíram para a saúde pública no Acre.

O livro faz destaque a outros personagens como Padre Paolino Baldassari e sua medicina natural, o farmacêutico Nilo Bezerra de Oliveira, e um trecho dedicado à profissão delicada que era exercida com coragem e amor pelas parteiras, principalmente na época dos seringais, que devido à distância e falta de profissionais qualificados, eram as responsáveis por ajudar as mulheres a "dar a luz".

Para a composição da obra Tião Viana formou uma pequena equipe para auxiliá-lo na organização dos dados e elaboração do texto. Maria das Graças Este, Marta Marcelino e Regina Soli ficaram responsáveis pelas pesquisas, enquanto o senador incumbiu-se de revisar e organizar os dados colhidos.

"A história da medicina é linda. É a história do amor à vida, do empréstimo, da solidariedade, por esse motivo procuramos resgatar os bonitos momentos da medicina no Acre como forma de reconhecimento a essa profissão que antecede o nosso tempo e vai sempre estar presente. Enquanto houver vida que precise ser equilibrada e reconstituída o médico estará presente como um operário dessa causa e o meu trabalho nesse livro foi o de valorizar esse sentimento", comenta o senador.

Com a necessidade de mostrar o lado mais humano dos médicos, o livro reúne fatos e memórias sobre a medicina no Acre. São histórias variadas de figuras que foram cruciais na vida dos acreanos de décadas passadas, quando não havia toda a parafernália e tecnologia que hoje dão suporte aos médicos e seus pacientes. Além de passagens bem humoradas revelando particularidades destes homens e mulheres que ficaram guardados no imaginário do povo do Acre, marcados pela humildade, perseverança e solidariedade para com o povo acreano.