Governo do Estado assina ordem de serviço para obras na Transacreana

Ação prevista no Pacto Agrário consolida a participação comunitária como instrumento de fortalecimento da agricultura familiar

1_210608.jpg

O Governo do Estado do Acre assinou na manhã deste sábado, 21, a ordem de serviço para dar início às obras de drenagem, terraplanagem e aplicação de piçarras em 28 quilômetros da estrada Transacreana. Governo e prefeitura formalizaram também ação conjunta que já transforma a realidade dos moradores da zona rural de Rio Branco com a abertura e recuperação de 700 quilômetros de ramais.

A conquista, construída pelo movimento dos trabalhadores rurais, sindicatos do setor e equipes do Estado e município, deixou emocionados os moradores da estrada Transacreana, a AC-090, que participaram da solenidade realizada na sede da Associação dos Produtores Rurais.

{xtypo_quote_right}Participação da comunidade foi estratégica para orientar onde e como investir R$ 12 milhões no piçarramento de 700 quilômetros de ramais e terraplanagem de 28 quilômetros da Transacreana{/xtypo_quote_right}A obra, executada com recursos do Governo Federal, BNDES e Governo do Estado totalizando R$ 12 milhões, beneficiará diretamente mais de 6 mil famílias que vivem nos ramais localizados ao longo do trecho de 28 quilômetros previstos no projeto de melhoramento da estrada. Até 1999, a estrada não oferecia condições de trafegabilidade. Hoje, 62 quilômetros estão asfaltados (30 quilômetros foram pavimentados ainda na gestão do ex-governador Jorge Viana). A estrada terá condições de tráfego de inverno a verão até o quilômetro 90, segundo o diretor do Deracre, Marcos Alexandre. "Esta obra dará condições de acesso aos ramais o ano inteiro", garante.

Há dez anos, os moradores da estrada Transacreana viviam em total isolamento. Muitos deles morreram sem socorro, vítimas de acidentes ou doenças. O governador Binho Marques ressalta que tanto esta obra quanto a recuperação dos ramais é uma vitória e que trará mais dignidade e qualidade de vida à população. "Este não é o desejo de uma só pessoa, mas de um movimento de pessoas. Estou diante de governadores e governadoras que decidem o que querem para suas comunidades, que decidiram como seria usado esse recurso".

Ramais recuperados foram escolhidos por trabalhadores

4_210608.jpg

A assinatura de convênio entre o Governo e Prefeitura de Rio Branco para abertura e piçarramento de mais de 700 quilômetros de ramais é uma ação prevista no Pacto Agrário, assinado em 2007, por meio do Programa de Recuperação de Ramais. Serão destinados R$ 12 milhões para o serviço.

Uma planilha foi elaborada a partir de trabalho conjunto desenvolvido por sindicatos, associações de trabalhadores, CUT e equipes das gestões municipal e estadual para definir quais e quantos ramais serão beneficiados. "Eu não sugeri uma letra nesta planilha. Tudo foi decidido pelos trabalhadores, pelas comunidades. Temos uma responsabilidade tremenda nos ombros, mas estamos felizes porque estamos aqui, trabalhando junto, ouvindo e atendendo às necessidades deste povo", disse o prefeito Raimundo Angelim.

2_210608.jpg

Raimundo Souza da Silva, presidente do Sindicato dos Extrativistas e Trabalhadores Assemelhados de Rio Branco (Sinpasa) fez questão de dizer que a estrada Transacreana é o eixo-mãe dos ramais. É dali que sai a maior parte dos alimentos produzidos em Rio Branco e que são revendidos nas oito feiras de produtores rurais distribuídas pelos bairros da Capital. "A Transacreana é o eixo mãe dos ramais. Ele foi elaborado pelos trabalhadores. Essa é a maior vitória. Quem escolhe qual ramal será trabalhado somos nós", afirma Raimundo da Silva. Ramais das regiões dos Vales do Acre e Juruá, além da região do Segundo Distrito de Rio Branco serão contemplados com obras de terraplanagem, pontes, colocação de bueiros e revestimento primário.

No "ramal do Otacílio", onde vive a maior parte das famílias de trabalhadores rurais da Transacreana, o professor e presidente da Associação dos Produtores Rurais da comunidade, Valter Costa da Silva, viu morrer várias pessoas vítimas do isolamento desde que chegou no local há 17 anos. E foi neste lugar que ele proferiu um dos discursos mais emocionados, durante a solenidade de assinatura da ordem de serviço da obra na estrada e de recuperação de ramais de Rio Branco.

{xtypo_quote_right}Obras na Transacreana: comunidade orienta investimentos{/xtypo_quote_right}"Estou muito satisfeito, estou feliz mesmo por ver nossos sonhos realizados. E isso só foi possível porque agora nós temos governantes que ouvem a gente, que querem fazer o serviço para melhorar a vida do povo. Eu que vi muita gente morrer e ficar aí pela estrada porque não tinha como sair. Me sinto aliviado", declarou.

Valter acredita que as condições da estrada vão melhorar e aumentar a produção já que agora os agricultores ficarão mais confiantes porque sabem que terão como escoar os produtos. Nos projetos de assentamento e propriedades da região são produzidos grande parte do arroz, feijão, banana, mandioca consumidos em Rio Branco.

dep._nilson_mourao.jpg {xtypo_quote_right}É preciso ter coragem para investir na agricultura familiar. O presidente Lula investiu na agricultura familiar. Com essa ação o governador Binho e o prefeito Angelim provam que também acreditam na força da agricultura familiar. – Nilson Mourão, deputado federal.{/xtypo_quote_right}
   
professor_valter.jpg {xtypo_quote_right}Professor Valter Costa da Silva: passado de exclusão e a possibilidade de construir a própria história na condução das políticas de desenvolvimento para a comunidade{/xtypo_quote_right}