Seminário Políticas Públicas e Economia da Cultura

Encontro debaterá a criação de um projeto unificado de cultura para o Acre, que inclui o cadastro e o empreendedorismo cultural

Com o objetivo de constituir ações estratégicas para a criação de um projeto unificado de cultura para o Acre, o Governo do Estado, através da Fundação Elias Mansour, em parceria com IPHAN, FGB, SEBRAE, SESC, AMAC e FEDERACRE, realiza o Seminário de Políticas Públicas e Economia da Cultura nesta quarta-feira, 19, em Rio Branco, no Centro Empresarial Sebrae, às 8h30 e 14h30, e na sexta-feira, 21, em Cruzeiro do Sul, às 14h30, no Teatro José de Alencar.

Segundo Rodrigo Forneck, gerente de projetos da Fundação Elias Mansour, o seminário é mais uma ação da parceria entre os orgãos, que inclui o Cadastro Estadual de Cultura Acre e uma metodologia de empreendedorismo cultural.

"O seminário é justamente para trabalhar as duas temáticas que são extremamente atuais e cujo momento é propício para debatê-las" diz ele. "Além disso, queremos construir uma base de dados para o estado, na organização de um sistema de informação, usando como ferramenta inicial o Cadastro Cultural".

A mesa de Economia da Cultura terá enfoque nas trocas solidárias e moedas complementares, enquanto a mesa de Políticas Públicas estará discutindo a elaboração de novas políticas para o setor de cultura e/ou adequação das existentes.

"Estamos trabalhando um viés na construção de indicadores para a cultura, tendo como base o trabalho desenvolvido com o Cadastro Estadual de Cultura para elaboração do Sistema Estadual de Informações Culturais e o Portal da Cultura" explica Rodrigo.

A idéia de realizar o seminário nos dois municípios, Rio Branco e Cruzeiro do Sul, segundo Forneck, é devido à discussão mais avançada existente nos dois lugares. "Nós detectamos esses dois pólos como os maiores produtores culturais do nosso estado, então já percebemos que a discussão política está mais propícia a acontecer neles" diz.

Em Rio Branco o Seminário acontece no Centro Empresarial Sebrae e terá na mesa de políticas públicas Frederico Barbosa, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Décio Coutinho, do Sebrae Nacional, Giselle Tanaka, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e Daniel Zen, diretor presidente da Fundação Elias Mansour. A mesa de Economia da Cultura será composta por Pablo Capilé, do Espaço Cubo de Cuiabá, Joaquim Melo, do Banco Palma, Haroldo Mendonça, da Secretaria Nacional de Economia Solidária e Danuza Magalhães, da Economia Solidária no Acre.

Em Cruzeiro do Sul, onde será debatido a construção e implementação de políticas públicas, o Seminário a mesa Políticas Públicas – Construção e Implementação será composta por Marcos Vinícius, presidente da Fundação Garibaldi Brasil, Karla Martins, chefe do Departamento de Incentivos Fiscais à Cultura da Fundação Elias Mansour, e Edy Bastos, da CERNEGRO.