Secretário de Saúde determina apuração de óbitos na maternidade

O secretário de Estado de Saúde, Gemil de Abreu Júnior, determinou nesta sexta-feira, 29, a apuração dos casos de óbitos de bebês na Maternidade Bárbara Heliodora, ocorridos na tarde de quinta-feira, 28, e na sexta-feira, 29. Gemil Júnior também informou que vai solicitar apoio do Ministério Público Estadual (MPE) na investigação dos casos.

Em entrevista coletiva pela manhã, a secretária adjunta de Assistência à Saúde, juntamente com a diretoria clínica, assistencial e técnica da maternidade, prestou esclarecimentos sobre as mortes registradas na unidade.

De acordo com o diretor-técnico José Everton Santiago, no primeiro caso registrado a paciente chegou à unidade com rotura de bolsa, que é o rompimento da bolsa amniótica antes do início do trabalho de parto, e que não apresentava sinais que indicassem necessidade de parto cesariana.

“Por se tratar de um parto prematuro, seguimos o protocolo que recomenda que ele seja natural, pois uma cesárea aumentaria os riscos tanto para a mãe quanto para o recém-nascido”, explicou  Santiago.

Ele também explica que a mãe recebeu todo o monitoramento necessário desde que deu entrada na unidade, na terça-feira, 26, e ao ser constatado o sofrimento fetal, a cirurgia foi providenciada imediatamente.

“A criança apresentou alteração dos batimentos cardíacos quando já estava prestes a nascer, então a cesariana foi realizada em seguida. Até então, tudo corria dentro da normalidade no trabalho de parto”, enfatizou.

Ainda de acordo com o diretor-técnico, o caso está sendo apurado por toda a equipe que atendeu a paciente, e deve ser analisado se o bebê não apresentava algum problema que o levou ao óbito, como cardiopatia, por exemplo.