Secretaria de Educação discute inclusão social nas escolas

Reunião tratou de temas ligados à educação especial e à tecnologia inclusiva (Foto: Assessoria SEE)
Reunião tratou de temas ligados à educação especial e tecnologia inclusiva (Foto: Assessoria SEE)

A construção da cidadania, da inserção social e da valorização do indivíduo passa necessariamente pelos meios de comunicação e de informação de um país. De acordo com essa ótica, a inclusão digital, nos dias atuais, tem um papel fundamental. Estar excluído do meio digital, ainda que em conhecimentos básicos, nos dias atuais é quase tão grave quanto o analfabetismo no passado.

E é com esta visão de futuro que estiveram, na tarde desta sexta-feira, 21, o secretário nacional de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social, Osvaldo Duarte, o representante da entidade Anjos do Brasil, João Kepler, e o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Marcelo Minghelli, visitando o titular da Secretaria de Estado de Educação (SEE), Marco Brandão.

Vários temas foram discutidos, mas o principal foi a plataforma desenvolvida por um grupo de jovens que integram a Anjos do Brasil, que trabalha com a língua brasileira de sinais (libras) no hand talk, escolhido pelo Ministério da Educação (MEC) como aplicativo para tablets distribuídos para alunos e professores da rede pública de ensino em todo o Brasil.

“O governo do Estado, por meio da SEE, busca aliar as novas tecnologias com formas mais dinâmicas de aprendizado e isso se aplica ao ensino inclusivo. É fenomenal porque está dentro das parcerias que a secretaria sempre busca, dinamizando o ensino especial e a inclusão social”, explicou Brandão.