Projeto Oportunidades é lançado no Acre

Nazareth Araújo fala da importância do acesso ao conhecimento através dos cursos profissionalizantes (Foto: Val Fernandes/Secom)
Nazareth Araújo fala da importância do acesso ao conhecimento por meio dos cursos profissionalizantes (Foto: Val Fernandes/Secom)

Foi lançado na manhã desta segunda-feira, 21, no bairro Cidade Nova, em Rio Branco, o projeto “Oportunidades – Valorizando o Potencial Humano”. A iniciativa da comunidade se apresenta com o objetivo de levar alternativas aos moradores por meio de programas educacionais, culturais e profissionalizantes.

O projeto também tem como foco gerar oportunidades e uma nova visão de mundo para crianças, jovens e adultos, além de contribuir para o desenvolvimento da comunidade.

A vice-governadora Nazareth Araújo destacou que as pessoas da comunidade serão as protagonistas do projeto.

“Estamos presenciando hoje o nascimento de um projeto muito bonito, que tem como foco a prevenção. Aqui será um espaço no qual os jovens e as pessoas da comunidade terão acesso ao conhecimento por meio dos cursos profissionais que serão oferecidos. Será um espaço de cidadania, onde todos podem acessar tudo o que está sendo oferecido”, disse Nazareth Araújo.

Inicialmente, por meio de parcerias com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), serão oferecidos os cursos de Recrutamento e Seleção de Pessoas, de Atendente e de Recepcionista. Cerca de 140 pessoas já estão inscritas nos cursos, que se iniciam esta semana.

Comunidade do bairro Cidade Nova prestigia o lançamento do projeto Oportunidade (Foto: Val Fernandes/Secom)
Comunidade do bairro Cidade Nova prestigia o lançamento do projeto Oportunidade (Foto: Val Fernandes/Secom)

O Instituto Dom Moacyr (IDM) e a Secretaria de Estado de Pequenos Negócios (SEPN) também são parceiros.

Segundo Rafael Almeida, presidente do Instituto Socioeducativo do Acre (ISE) e um dos idealizadores do projeto, a ação visa oferecer oportunidades para que os jovens não venham tender à criminalidade, à prostituição e ao tráfico de drogas.

Ainda segundo ele, os socioeducandos também poderão acessar o projeto, assim como os adolescentes em semiliberdade, que já têm seu espaço garantido. “Já os egressos – os que saíram definitivamente das unidades socioeducativas – serão referenciados nesse projeto”, afirmou.

Rita Paro, diretora-presidente do IDM, desejou vida longa ao projeto. “Que ele cresça e beneficie outros bairros e cidades do Acre.”