Atividade faz parte da programação que comemora os 200 anos do Banco do Brasil

Na próxima quarta-feira, 18, o escritor Milton Hatoum estará no Acre para bater um papo sobre a arte de escrever romances, contos e novelas. O encontro acontecerá no Teatro Plácido de Castro, às 19h. Hatoum virá à capital acreana através do projeto “Laboratório do Escritor”, criado pelas jornalistas Cristiane Costa e Valéria Lamego, em 2006, e que há mais de dois anos levam os mais importantes escritores nacionais a abrir a caixa preta da criação literária. O projeto é gratuito.

A vinda do escritor faz parte do calendário de atividades em comemoração ao bicentenário do Banco do Brasil, promovido pelo Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) Itinerante. Durante o encontro, o autor de “Relato de um Certo Oriente” e “Dois Irmãos” falará pessoalmente com seus leitores.

A idéia do projeto é desmitificar a relação com a escrita, mostrando alguns aspectos concretos e outros mais abstratos do processo criativo. Entre as muitas questões a serem levantadas nesses encontros estão: se os autores fazem ou não pesquisa de campo ou em outras fontes; como enfrentam os momentos de dúvida, do bloqueio e da solidão; se vão direto ao ponto ou se precisam fazer sucessivas revisões e versões até achar o tom certo; como lidam com a eventual rejeição dos editores, sua relação com o mercado e com as críticas.

Descendente de libaneses, Hatoum nasceu em Manaus em 1952, mas passou parte da infância no Acre. Um dos próximos projetos do escritor é produzir um livro de memórias, onde o escritor pretende eternizar a história vivida pelos pais no Acre, antes de irem embora para Manaus, onde se estabeleceram como comerciantes do ramo de tecidos.

Sobre o escritor – Ensinou literatura na Univerdidade Federal do Amazonas (Ufam) e na Universidade da Califórnia em Berkeley e escreveu quatro romances: “Relato de um Certo Oriente”, “Dois Irmãos”, “Cinzas do Norte” (esse último vencedor do Prêmio Portugal Telecom de Literatura e todos os três primeiros ganhadores do Prêmio Jabuti de melhor romance) e “Órfãos do Eldorado”. Seus livros já venderam mais de 200 mil exemplares no Brasil e foram traduzidos em oito países. Milton Hatoum costuma, em suas obras, falar de lares desestruturados com uma leve tendência política. Em suas duas últimas obras "Dois Irmãos" e "Cinzas do Norte", o escritor fez uma sutil crítica ao regime militar brasileiro.

Mais informações: www.versobrasil.com.br/laboratoriodoescritor