Projeto de Proteção de Jovens em Território Vulnerável é lançado no Acre

Nesta etapa, 810 jovens são atendidos com a realização de cursos e oficinas em várias áreas de formação

protejo_foto_gleilson_miranda_03.jpg

Projeto beneficia 810 jovens em três municípios do Acre com cursos e oficinas profissionalizantes (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

protejo_paula_foto_gleilson_miranda_.jpg

Renata de Souza vê na oportunidade uma chance para entrar com mais segurança no mercado de trabalho (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Renata de Souza tem 16 anos e se prepara para cursar o 1º ano do Ensino Médio por meio do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA), uma das linhas de ação do Pronasci. Selecionada para o Projeto de Proteção de Jovens em Território Vulnerável lançado na manhã desta terça-feira, 31, no Acre, ela acredita que esta é uma importante oportunidade de se desenvolver profissionalmente e entrar mais fortalecida no mercado de trabalho. Junto com Renata estão outros 810 jovens que irão participar de oficinas, cursos e atividades de complementação com formação sócio-jurídica, cultural, esportiva e profissionalizante em Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Brasiléia.

Considerado pelo Ministério da Justiça como o programa mais emblemático do Pronasci, por interligar o jovem à cidadania oferecendo acesso às políticas de segurança social, o Protejo quer cumprir a meta de desenvolver as capacidades de jovens moradores de comunidades situadas em território vulnerável para que se tornem líderes irradiadores de boas práticas sociais. "Os técnicos do Pronasci está à disposição para cooperar para levar esse programa ao sucesso. E o que é considerado sucesso nesse caso? É fazer com que esses jovens tenham alternativas em suas comunidades", define Nilson Silveira, representante do Ministério da Justiça. 

Dirigido a jovens de 15 a 24 anos, o projeto quer diminuir os índices de violências nas comunidades através da ação multiplicadora da educação. A parceria reúne governo federal, Governo do Estado e prefeituras com a oferta de 800 horas em cursos em diferentes áreas do conhecimento. "O Protejo é um projeto que faz com o que o jovem seja o protagonista de boas experiências", diz o diretor presidente do Instituto Dom Moacyr, Iraílton Lima.

 

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest