Durante encontro foram destacados os avanços na área (Foto: Luciano Pontes/Secom)
Durante o encontro foram destacados os avanços na área (Foto: Luciano Pontes/Secom)

O ano de 2014 foi um período de muitas ações para o programa “Crack, é Possível Vencer”. O Comitê de Gestão do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas” esteve reunido na manhã desta quinta-feira, 11, para avaliar os avanços e dificuldades e planejar os próximos passos. Um técnico do Ministério da Saúde acompanhou a avaliação.

A coordenadora do programa no Acre, Susie Lhamas, apresentou as ações realizadas, entre elas a segunda edição da campanha “Meu Vício é Viver”, participação em fóruns comunitários de segurança, palestras, aulas, ações integradas com órgãos de segurança, entrevistas e oficinas.

O secretário de Segurança Pública (Sesp), Reni Graebner, ressaltou que o programa é uma ação do governo federal e que o Acre foi um dos primeiros estados a assinar a adesão. A Sesp foi a responsável por reunir os órgãos parceiros e construir o fluxo de informações, além de coordenar o Eixo Autoridade, um dos três eixos do programa.

Para Dora Araújo, secretária de Assistência Social de Rio Branco, a integração que hoje existe é essencial para a eficácia do atendimento, dentro do fluxo montado. “Se um policial encontrar uma pessoa em situação de dependência na rua, sabe para onde encaminhar aos atendimentos iniciais e triagem. O sistema de segurança tem sido grande parceiro”, comentou.