Professora acreana foi a primeira inscrita na Olimpíada de Língua Portuguesa

Elza Amorim é formadora do núcleo de Plácido de Castro (Foto: Marinez Lopes/SEE)
Elza Amorim é formadora do núcleo de Plácido de Castro (Foto: Marinez Lopes/SEE)

A professora Elza Amorim, de Plácido de Castro, foi a primeira do país a se inscrever na quinta edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro.

A abertura para as adesões de escolas e professores ao evento começou no último dia 25 de fevereiro, no site do concurso. Elza Amorim atualmente é formadora de professores do núcleo da sua região, e por isso acompanha o site diariamente: “Estou sempre procurando as novidades para ver o que posso levar para a sala de aula. São conteúdos bons e atualizados”, frisa. “Nem sabia que havia sido a primeira. Fiquei surpresa e feliz. Afinal, o Brasil é grande, e essa olimpíada é muita esperada.”

print da página da olimpíadaPara Denise Teixeira, do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), ONG responsável pela execução do concurso, a educadora é um exemplo: “Quando registramos que a primeira inscrição era do Acre, foi uma satisfação para a organização do concurso. Isso mostra que, de norte a sul, os profissionais estão engajados na educação pública”, destaca.

A representante da rede de ancoragem da olimpíada no Acre, Cilene Gaspar, explica que o destaque é reflexo do envolvimento e do comprometimento dos servidores com a melhoria do ensino no estado: “Sempre tivemos expressiva participação, e nossos alunos têm se destacado com bons textos em todos os gêneros. Isso é resultado do empenho daqueles que estão nas salas de aula”, enfatiza.

Nesta edição, o tema é: “O Lugar Onde Vivo”, uma forma de resgatar histórias e estreitar os vínculos dos estudantes com a cultura e com a comunidade onde vivem.  As inscrições terminam no dia 30 de abril e podem ser feitas pelo portal www.escrevendoofuturo.org.br. O certame é aberto para as redes municipal e estadual.