Agronegócio

Produtores do Assentamento Tocantins apostam na cafeicultura e pretendem disparar na colheita

Um grupo de dez produtores do Projeto de Assentamento (PA) Tocantins, no município de Porto Acre, resolveu ousar na diversificação da produção neste novo momento do estado para o desenvolvimento do agronegócio, apostando na cafeicultura. Eles estão entusiasmados com os primeiros resultados.

Ainda na primeira safra, grupo já conseguiu reunir 170 sacas de café clonal Foto: Cedida.

O grupo começou com a ideia do produtor Giordano Valdivino, que se interessou pelo grão e plantou dois mil pés em sua primeira safra. Hoje tem 12 mil e quer chegar a 20 mil. Giordano conseguiu reunir mais nove colegas do PA ligados à Associação de Moradores e Produtores Rurais do Ramal Boa União (Apropac) e até agora já foram colhidas 170 sacas de café clonal.

O presidente da Apropac, Abílio Caetano, foi um dos colegas que também se interessou pelo café e já possui 1,6 mil pés em sua propriedade. O grupo conseguiu negociar com a empresa Café Contri a venda das sacas, e o objetivo agora é investir no futuro da cafeicultura com a criação de um viveiro de mudas e a possibilidade de um secador para agregar valor aos grãos.

Abílio e o grupo têm mantido contato frequente com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), buscando parcerias na produção e apoio técnico para as ações que desejam realizar no futuro. Os produtores já conseguiram a concessão de um caminhão para escoamento e maquinário agrícola para a plantação, mas, com a expansão da atividade, pretendem ir muito além.

Vendas do grão tem sido feitas para o Café Contri enquanto planejam novidades para o futuro Foto: Cedida.

“Está dando muito certo. Não estamos arrependidos do que estamos fazendo e queremos ampliar. Só precisamos de orientação técnica. Estamos metendo a cara, quebrando cabeça, errando e acertando, mas estamos tentando e empolgados com os resultados”, relata Abílio.

O Brasil é o maior produtor e exportador, além de ter o segundo maior mercado consumidor de café no mundo. O Acre é o segundo maior produtor de café da Região Norte, com produção de 32.817 sacas, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).