pelo acre solidário

Primeira-dama recebe homenagem do Ministério Público do Acre

A primeira-dama Marlúcia Cândida foi homenageada pelo Ministério Público do Acre (MPAC), como reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo Acre Solidário em beneficio das pessoas mais necessitadas, ao longo de sete anos. A solenidade ocorreu na tarde de quarta-feira, 24, no auditório da instituição.

Acompanhada dos filhos Catarina e Virgílio, Marlúcia recebeu uma placa das mãos do procurador-geral de Justiça, Oswaldo D’Albuquerque, durante a sessão solene de outorga da Medalha do Mérito do MPAC.

Marlúcia Cândida foi reconhecida por seu trabalho à frente do Acre Solidário (Foto: Rose Farias)

Na oportunidade foram homenageadas personalidades da política e do judiciário. Os agraciados in memorian foram:  Wildy Viana das Neves, ex-deputado federal pelo Acre, pai do governador Tião Viana e do senador Jorge Viana, e o primeiro procurador do MPAC, Lourival Marques.

O prefeito Marcus Alexandre, o mestre em economia José Fernandes do Rêgo, ex-vice-governador do Acre, o secretário de estado de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão, entre outras personalidades foram agraciados com a medalha.

Marlúcia falou de sua emoção em ser agraciada. “Não vou negar minha emoção aos membros desta casa. Ao longo de sete anos, o trabalho com o Acre Solidário está finalizando, mas ter essa honraria e lembrança do Ministério Público significa muita confiança no trabalho realizado com amor, solidariedade, dedicação e seriedade. O Acre Solidário e um movimento de pessoas de diversas áreas que se unem para fazer o bem no momento que o estado precisa. Estou muito emocionada por mim, pelo Acre Solidário, o meu sogro Wildy Viana, como também pelo professor Rêgo e o Nilson Mourão, grandes mestres”, disse.

Movimento Acre Solidário

O Acre Solidário é um movimento criado em 2011 com foco no social, cultural e ambiental. É coordenado pela primeira-dama Marlúcia Cândida com o apoio da equipe de seu gabinete.

São parceiros do movimento: a Central de Articulação das Entidades de Saúde (Cades), Fieac, Lions, Casa da Amizade, governo do Estado e outras instituições privadas e públicas.

No social, o Acre Solidário trabalha com o objetivo de ajudar aos que precisam de apoio e acolhimento, por meio de campanhas e outras ações.

Foi a partir da tragédia que atingiu a cidade de Petrópolis em 2011, que o movimento fez sua primeira ação com a campanha para arrecadar água. As doações foram enviadas a Petrópolis com ajuda da empresa Roda Viva e por meio de um avião da FAB.

Em seguida, as campanhas foram de ajuda às famílias que foram atingidas pelas enchentes no Estado em 2012 e 2015 (SOS Enchente Acre). Em 2017 foi realizada a campanha SOS Enchente Juruá. A mobilização em 2012 e 2015 ocorreu no Estado e doações chegaram de várias cidades do Brasil e de outros países.

Os projetos no eixo social são: Campanha do Agasalho, Brechó de Natal (todo o recurso gerado é doado à Cades. A central distribui a verba de acordo com as necessidades de suas 40 entidades filiadas. Cades), Natal Solidário e o Carnaval Solidário – Baile à Fantasia.

No eixo cultural, o movimento tem desenvolvido ações a partir de parcerias com artistas e espetáculos teatrais, musicais e humorísticos com campanhas para doações de alimentos e outros mantimentos para ajuda a projetos sociais.

No eixo ambiental, o Acre Solidário criou em 2016 o projeto “Lixo Zero – Põe a Mão na Consciência”, com o objetivo de promover ações de conscientização quanto ao descarte correto de resíduos sólidos. O projeto conta com a parceria da SOS Amazônia, Lions, Rotary, Casa da Amizade, governo do Estado e Prefeitura de Rio Branco, Cooperativa dos Catadores e a Associação do Movimento Nacional de Catadores e Catadoras.

O Lixo Zero realizou campanha coleta seletiva na Expoacre em 2016 e 2017, oficinas de reciclagem em escolas com a parceria da secretaria de Estado de Educação, mutirão de limpeza do Rio Acre pelo Corpo de Bombeiros do Acre e blitz ambiental com ações de sensibilização, oficina Arte na Mão: Transformando Lixo em Luxo, ministrada pelos artistas plásticos Claudeney Alves e Ramon Nascimento, oficina de reaproveitamento alimentar em parceria com a Rede Estadual de Humanização, coordenada pela Secretaria de Estado de Gestão Administrativa (SGA), entre outras iniciativas e projetos.