Pró-Florestania recupera áreas em Projeto de Assentamento

O programa já aprovou mais de 107 projetos. Na área existem 66 hectares recuperados.

gentil_gonzaga_platou_milho.jpg
tcnico_da_separof_acompanha_o_processo_de_produo._jpg.jpg

A 45 quilômetros de Rio Branco, no Projeto de Assentamento Baixa Verde, Ramal da Lua, 33 famílias de agricultores transformam o cenário antes somente de pastos e terras degradadas para o colorido das plantações de milho, arroz, feijão, macaxeira, espécies frutíferas e madeireiras. O passo inicial foi dado a um ano através do Programa Pró-Florestania do Governo do Estado que investiu R$ 42.520,00 para aração, gradagem, plantio de sementes (mucuna preta e branca) e aquisição de kits de mudas frutíferas e madeireiras para implantação de SAF`s.

As famílias inseridas no programa plantam o roçado sustentável, um sistema baseado na renovação do solo. Assim o agricultor não desmata novas áreas e nem utiliza o fogo. A mecanização também é um estimulo. Segundo o técnico agrícola Hildek Dinarte Albuquerque, da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), o resultado obtido está acima das expectativas porque esse processo foi iniciado há somente um ano.

São já 66 hectares recuperados. Na propriedade do agricultor José Ferreira já é a segunda safra de feijão que colhe. "Uma das vantagens é o roçado ser tão perto da casa", explica. Na área ele pretende utilizar o sistema de rotação de cultura. "Está provado não precisa desmatar e nem queimar.", diz o agricultor que espera colher 400 quilos de feijão do meio hectare plantado.

Já Gentil Gonzaga dos Santos apostou no milho. O verde do milharal predomina na área próxima a casa do agricultor. Os cálculos apontam para uma colheita de duas toneladas. "E o melhor é que dá para ter duas safras ao ano", comemora. Gentil plantou milho nos dois hectares recuperados a partir do Programa Pró-Florestania.

Ramal – Além do Pró-Florestania outra ação que mudou a vida na comunidade foi à recuperação do ramal. Albecio Porfiro da Cunha vive a 16 anos no local e já tinha decido que ia vender a propriedade e mudar para a cidade. "Não dava mais pra continuar. Era muito sofrimento", afirma. A recuperação com piçarramento dos 12 quilômetros do Ramal da Lua mudou os planos de Albecio Porfiro.

Albecio Porfiro agora está entusiasmado e iniciou a implantação de um SAF (Sistema Agroflorestal ). Os SAFs são uma técnica alternativa de uso da terra que tenta proporcionar um rendimento sustentável ao longo do tempo, introduzindo espécies anuais nos primeiros anos, seguidas de frutíferas semi-perenes e perenes e por fim as madeiráveis, os quais podem ainda, ser consorciadas com animais em uma mesma área.

Pró-Florestania

O Pró-Florestania é o Programa do Governo do Acre para apoiar populações tradicionais e agricultores familiares visando melhoria na qualidade de vida com o uso sustentável dos recursos naturais. O Pró-Florestania é coordenado e executado pela Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (SEAPROF) e possui as seguintes áreas temáticas: recuperação de áreas alteradas; promoção da cadeia produtiva; extração sustentável de recursos naturais. Para viabilizar o programa, o Pró-Florestania oferece apoio para a elaboração de Planos de Desenvolvimento Comunitários – PDC’s, Projetos Produtivos e Estudos Específicos.

O programa já aprovou mais de 107 projetos, sendo 70 na área temática de recuperação de áreas alteradas, 27 na área de fomento à cadeia produtiva e 10 na área de extração sustentável de recursos florestais.