Povos e comunidades tradicionais do Acre discutem políticas públicas

O evento discute a política nacional de desenvolvimento sustentável (Foto: Maria Meirelles/SEPMulheres)
Evento discute a política nacional de desenvolvimento sustentável (Foto: Maria Meirelles/SEPMulheres)

O Primeiro Encontro de Povos e Comunidades Tradicionais do Acre iniciou sua programação na manhã desta quinta-feira, 5, no Anfiteatro Garibaldi Brasil, da Universidade Federal do Acre (Ufac). O evento tem duração de dois dias e busca discutir a política nacional de desenvolvimento sustentável, instituída pelo decreto 6040/07, de fevereiro de 2007.

Índios, parteiras, extrativistas, lideranças tradicionais de matriz africana, representantes dos movimentos sociais de todo os municípios acreanos e estudantes da Ufac fazem parte do público de aproximadamente 200 pessoas que compõem o debate. A realização é do Comitê Chico Mendes e do Conselho Nacional de Seringueiros, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Segundo a coordenadora do Comitê Chico Mendes, Ângela Mendes, o encontro possibilita a troca de experiência e vivência entre as comunidades e povos. “Tivemos a ideia de promover o evento ainda no ano passado. Estamos nos reunindo para discutir o que temos em comum e o que, juntos, podemos fazer para fortalecer as políticas de desenvolvimento sustentável no Estado”, declarou.

Neste primeiro dia de encontro, os participantes aprofundaram a temática sobre a política nacional de povos e comunidades tradicionais, territorialidade, políticas estaduais específicas para a juventude, educação, ciência e tecnologia na Amazônia, e os desafios do movimento estudantil.

Na sexta-feira, 6, as atividades se iniciam às 8h30 e se estendem até as 14 horas. A iniciativa conta ainda com o apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Políticas para as Mulheres, prefeitura de Rio Branco, Memorial Chico Mendes, e gabinetes do senador Jorge Viana e do deputado federal Sibá Machado.