Policiamento ostensivo volta à rotina na Baixada do Sol

Viaturas da Polícia Militar voltam a transitar em ruas que estavam alagadas até o último fim de semana. (Foto: Andrey Santana)
Viaturas da Polícia Militar voltam a transitar em ruas que estavam alagadas até o último fim de semana (Foto: Andrey Santana)

Os serviços de policiamento com radiopatrulha foram normalizados na Baixada do Sol. Com a vazante do Rio Acre, já é possível o acesso terrestre aos bairros. Dos 19 bairros atingidos na região pela enchente, apenas alguns pontos permanecem com água sobre as ruas.

“Estamos voltando à rotina. O policiamento volta a ser feito com a utilização das viaturas convencionais, por meio das radiopatrulhas e do tático. Utilizamos o Giro, Grupo de Intervenções Rápidas e Ostensivas, para chegar aos locais onde ainda há água nas vias”, afirmou o comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar (3ºBPM), tenente-coronel Francisco Teles.

Durante toda a última semana, o policiamento nas regiões alagadas sofreu alterações devido à cheia do Rio Acre. A Sobral foi uma das áreas mais afetadas pela alagação. Ruas e becos viraram extensão do rio e o acesso era possível apenas em barcos. Todos os esforços estavam concentrados no auxílio às vítimas da enchente. As forças policiais precisaram remanejar barcos do interior do estado para conseguir atender à crescente necessidade na capital.

O comandante do 3º BPM agradece a dedicação dos profissionais da Segurança Pública e a compreensão da comunidade. “A Baixada ficou isolada em algumas partes, obrigando-nos a planejar novamente todo o nosso policiamento. Tivemos que utilizar barcos e muito policiamento a pé para atender às necessidades”, relatou.

Delegacia da 3ª Regional volta a funcionar
A Delegacia de Polícia Civil da 3ª Regional, localizada no Aeroporto Velho, também voltou a atender a população normalmente. O prédio havia sido inundado, na semanada passada, em virtude da maior enchente que se tem registros em Rio Branco. As ocorrências policiais já podem ser feitas normalmente. A Delegacia do Segundo Distrito permanece fechada e os registros podem ser feitos na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), ou no distrito policial da 1ª Regional, na Cadeia Velha.