Polícia Civil realiza “Operação 48 horas”

Mais de 300 agentes e 43 delegados participaram da ação

emylson_farias_01234345.jpg

Delegado da Polícia Civil, Emylson Farias, elogiou empenho de toda Polícia Civil na operação (Foto: Pedro Paulo/Assessoria PC)

A Polícia Civil acreana, em cumprimento a Mandados de Buscas e Apreensão expedidos pela Justiça, esteve nas últimas 48 horas, em todo o Estado, vistoriando pontos suspeitos de venda de droga e de práticas de outros crimes.

A ação da Polícia Civil teve êxito em localizar dinheiro, entre notas de diversos valores, cerca de 11 kg de pasta a base de cocaína e armas de fogo, inclusive de fabricação russa e turca. Setenta e cinco pessoas foram presas, na capital e no interior do Estado, sendo a maioria por roubo, tráfico de droga e homicídio.

Mais de 300 agentes de polícia e 43 delegados trabalharam na operação, que culminou no cumprimento de 312 Mandados de Buscas e de Prisão. Em Rio Branco, foram efetuadas 22 prisões e em outras 17 cidades no interior, 53 pessoas foram presas simultaneamente.

A polícia apreendeu 14 armas de fogo, munições de vários calibres e produtos para fabricação de CDs e DVDs piratas. As armas, entre elas uma pistola russa e uma escopeta turca, foram apreendidas na região do Juruá, em uma ação da Polícia Civil do município.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, na sede da Delegacia Antiassalto, o secretário da Polícia Civil Emylson Farias destacou que esta foi a maior operação realizada pela instituição, em várias cidades ao mesmo tempo. “Alcançamos este objetivo, devido ao esforço dos agentes de polícia que se doaram na missão, junto com os delegados”, disse.

O secretário citou como exemplo a ação desenvolvida pelos delegados da região do Alto Acre, que de forma planejada uniram forças do efetivo da região. “Este é apenas um exemplo. Posso afirmar que toda polícia civil agiu de maneira firme, nos quatro cantos do Estado”, destacou Emylson. Ele lembrou que esse trabalho é resultado dos investimentos do Governo, que criou as condições para Polícia Civil oferecer uma melhor prestação de serviço à sociedade acreana.