Parceria do governo muda vida de famílias em projeto de assentamento

Produtores receberam equipe da Seaprof e Emater com um café da manhã de produtos cultivados pela comunidade (Foto: Leônidas Badaró)
Produtores receberam equipe da Seaprof e Emater com um café da manhã de produtos cultivados pela comunidade (Foto: Leônidas Badaró)

Fomento e extensão rural. Esta é a combinação que está mudando a vida de centenas de produtores familiares do Projeto de Assentamento Walter Arce, localizado entre Rio Branco e Bujari.

Criado em setembro de 2015, o PA Walter Arce é o mais novo projeto de assentamento do Acre. Formado por famílias de agricultores brasileiros que foram expulsos da faixa de fronteira da Bolívia e produtores que estavam na periferia de Rio Branco, já são mais de 500 famílias assentadas.

O governo do Acre, por meio de suas secretarias ligadas à produção rural, tem acompanhado e ajudado para que os produtores possam produzir com qualidade.

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) foi contratada pelo governo federal, por meio do Incra, para prestar o serviço de acompanhamento técnico. Já a Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) contribui com máquinas que ajudam a preparar o solo.

Com esse apoio do governo, agricultores, que sonhavam com um pedaço de terra onde pudessem viver da produção rural, começam a ver o sonho se tornar realidade.

É o caso da agricultora Maria José Pessoa, de 51 anos. Ela nasceu e cresceu na zona rural, mas nunca teve uma área de terra. Assentada no Walter Arce desde outubro do ano passado, fala da felicidade em poder sustentar sua família do que produz em sua propriedade.

“Desde que nasci sempre morei em colônia ou seringal. Isso aqui para mim é a realização de um sonho. Estou muito feliz com o meu pedaço de terra”, afirma.

‡Assentado do Walter Arce que decidiu investir no plantio de melancia vai colher 10 mil frutas e abastecer o mercado de Rio Branco (Foto: Leônidas Badaró)
‡Assentado do Walter Arce que decidiu investir no plantio de melancia vai colher 10 mil frutas e abastecer o mercado de Rio Branco (Foto: Leônidas Badaró)

Um exemplo de sucesso no assentamento é o produtor Djalma Pereira, que decidiu se dedicar exclusivamente ao plantio de melancias.

O negócio tem dado tão certo que em apenas 10 meses a produção já chega a 20 mil frutas em seis hectares.

“Sempre digo que se o produtor quiser produzir ele consegue. A gente aqui tem tido a ajuda do governo e da prefeitura do Bujari. Agora estou colhendo dez mil melancias que vou vender cada uma, em média, por dez reais”, explica o produtor que abastece os principais supermercados de Rio Branco com suas frutas.

Visita e garantia de mais parceria

O gestor da Seaprof, Lourival Marques, esteve nos últimos dias visitando o projeto de assentamento para acompanhar de perto a situação dos produtores e garantir ainda mais o apoio do governo no local.

“Aqui está um exemplo do que a união é capaz de fazer na produção rural. Seaprof, Emater, Incra e a prefeitura do Bujari juntos para ajudar essas famílias que aqui vivem e que tem muita vontade de produzir”, declarou.