190 e 193

Padronização e ampliação proporcionam melhoria no serviço de atendimento emergencial da segurança pública do Acre

Uma mudança recentemente promovida pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) ampliou o atendimento emergencial nos 22 municípios do Acre. Agora, todas as ligações para os números 190 e 193, dentro do território acreano, são recebidas no Centro de Comando e Controle (CICC), em Rio Branco.

Um total de 28 profissionais ficam disponíveis para atender as ligações de todos os municípios Foto: Dhárcules Pinheiro

A migração do serviço para a capital proporciona uma maior agilidade e eficiência no atendimento emergencial, pois amplia a capacidade de atendimento, que passa a ter 28 atendentes disponíveis para receber ligações de todos os municípios.

Por meio do Sistema Integrado de Atendimento Policial (Siap), a telefonia do atendimento emergencial, que antes era analógica, agora passa a ser 100% digital. A ferramenta é uma aquisição que faz parte das ações de investimento em tecnologia da Sejusp.

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, frisa que a mudança também garante outra série de melhorias. “O atendimento é padronizado por meio de equipe treinada a fim de receber as demandas emergenciais. As ligações são gravadas e o sistema permite uma visão global das demandas da sociedade para que os operadores possam planejar tecnicamente as intervenções necessárias”, ressalta.

Sistema permite uma visão global das demandas da sociedade Foto: Dhárcules Pinheiro

Ele também destaca a diminuição do tempo de atendimento emergencial, a ampliação do atendimento em todas as cidades acreanas, a possibilidade de realizar conferência com o solicitante, momento em que atendente, solicitante e policial despachante podem partilhar da mesma ligação, ampliação do controle de atendimento e despacho de ocorrência e possibilidade de gerenciamento e supervisão das ocorrências de grande vulto.

Como funciona

Ao ligar para os números 190 e 193, o solicitante é atendido por um profissional capacitado que gera a ocorrência e a repassa para o policial despachante do município. Este toma as devidas providências no sentido de encaminhar a viatura mais próxima do local do fato. A prática é conhecida como serviço de atendimento e despacho.

Ocorrências são encaminhadas para o despachante do município de origem Foto: Dhárcules Pinheiro

O coordenador de Comando e Controle da Polícia Militar, capitão Joel Barroso, explica que a migração das chamadas para Rio Branco compreende apenas o serviço de atendimento, sendo que o despacho continua localizado no município da ocorrência. “A mudança proporcionada não altera o formato de atendimento. O que muda é quantidade de atendentes disponíveis para a população em geral e o padrão de atendimento que agora é único”, afirma.

No caso do município de Cruzeiro do Sul, por exemplo, apenas quatro atendentes faziam o serviço. Com a mudança, 28 profissionais estão disponíveis no CICC. “Municípios como Tarauacá, Sena Madureira e Brasileia não tinha nenhum atendente, pois o próprio policial era quem fazia o atendimento telefônico. Agora o atendimento é todo centralizado aqui em Rio Branco”, explica Barroso.

Investimentos

As mudanças são fruto de uma série de investimentos em tecnologia voltada para segurança pública que estão sendo realizadas desde o início da atual gestão. De acordo com o chefe do Departamento de Planejamento e Gestão Estratégica da Sejusp, Rodrigo Heitor Brady, os investimentos citados já ultrapassam R$ 5 milhões, dos quais se destacam a aquisição do Sistema Integrado de Atendimento Policial (Siap), implantação do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), aquisição de novos equipamentos para o sistema de radiocomunicação digital, aquisição de tecnologia embarcada, ampliação do sistema de videomonitoramento, inclusive com uso de câmeras privadas, dentre outras que ainda estão em fase de implantação.