procedimentos

Pacientes que aguardam mutirão de cirurgias passam por exames pré-operatórios na Fundhacre

Por Bruno Medim

O governo do Estado, por meio da Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), em Rio Branco, vem realizando na unidade hospitalar exames pré-operatórios de risco cirúrgico para os pacientes que passarão pelo mutirão de cirurgias.

A princípio a logística permitia que 50 pacientes passassem pelos exames pré-operatórios, porém este número dobrou. Foto: Gleison Luz

Todo o processo de organização para a realização dos procedimentos se iniciou no dia 30 de maio. A princípio a logística permitia que 50 pacientes passassem pelos exames pré-operatórios, porém, após reuniões de planejamento entre equipes da organização, o complexo está apto a receber, a partir desta segunda-feira, 20, o dobro de usuários que aguardam procedimentos.

Os exames realizados foram relativos a cirurgia geral, vascular, vasectomia, urologia e ginecologia. Foto: Gleison Luz

De acordo com Sneyla Santos, chefe do Hospital do Idoso, nesta semana 79 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) já realizaram os exames de acordo com a especialidade de suas cirurgias, sejam elas geral, vascular, vasectomia, urologia, ginecologia ou cabeça e pescoço, somando 712 atendimentos no total, até hoje.

Fundhacre em reunião com os acadêmicos dos cursos de psicologia e enfermagem. Foto: Gleison Luz

Com o objetivo de contribuir no acolhimento aos pacientes do mutirão de cirurgias, a Fundhacre também firmou parceria com o Centro Universitário Uninorte, de Rio Branco, em que alunos dos cursos de enfermagem e psicologia passarão a participar da ação histórica realizada no hospital, atuando na organização.

Objetivo da parceria é contribuir no acolhimento aos pacientes do mutirão de cirurgias. Foto: Gleison Luz

Alessandra Prado, discente do 7º período de psicologia, revelou interesse em acolher os pacientes que chegam no hospital, além de conhecer de perto como funciona o processo do sistema de saúde, já que perdeu a oportunidade de estagiar presencialmente por causa da pandemia de covid-19. “Acredito que esse contato fora da faculdade, nos ajudar a ter um olhar da pessoa que está dentro do sistema, assim, gera compromisso e experiências reais que não foram possíveis por causa da quarentena”, explicou Alessandra.

Alessandra Prado, discente do 7º período de psicologia da Uninorte. Foto: Gleison Luz

Para Karoline Lima, aluna do 4º período de enfermagem, o ato de se voluntariar é um exercício de empatia. “É como o presidente [da Fundhacre] João Paulo Silva explicou, nós precisamos saber lidar com a dor da outra pessoa. Nenhum paciente está aqui porque quer, mas porque precisa e nós devemos dar todo o suporte possível”, disse.

“Precisamos saber lidar com a dor da outra pessoa, e devemos dar todo o suporte possível”, disse aluna de enfermagem Karoline Lima. Foto: Gleison Luz

O mutirão de cirurgias é uma iniciativa e compromisso do governo do Acre, por meio de recursos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AC), no valor de R$ 15 milhões, além da emenda parlamentar do senador licenciado Márcio Bittar, no valor de R$ 10 milhões. A previsão para o início das cirurgias é o mês de julho, segundo Sneylla Santos.