Qualificação

Oficina de boas práticas na assistência ao parto e ao nascimento é realizada no Juruá

A primeira gestão de Gladson Cameli será lembranda pelo zelo com a vida dos acreanos. Um trabalho primoroso, que se inicia no primeiro dia de vida dos cidadãos e se estende à fase adulta, com políticas prioritárias voltadas ao desenvolvimento do estado.

Exemplo disso é a oficina de boas práticas na assistência ao parto e ao nascimento, ofertada pela Secretaria de Saúde (Sesacre) para todas as regionais do estado, que se encerra nesta quinta-feira, 15, em edição voltada a enfermeiros obstetras e médicos que atuam no Vale do Juruá.

A ação visa oferecer, com base em evidências científicas, ferramentas adequadas para qualificar a prática clínica dos provedores de cuidados na assistência respeitosa ao parto e ao nascimento, melhorando os indicadores maternos e neonatais no Acre.

Ação visa melhorar os indicadores maternos e neonatais no Acre . Foto: Marcos Santos/Secom

“Estamos qualificando os profissionais, para que possamos oferecer assistência mais humanizada no momento do parto, que é tão significativo para as mulheres. É um momento de reflexão sobre as nossas práticas, pois queremos emponderar a figura feminina a ter autonomia para conduzir seu parto da melhor forma”, observou a enfermeira obstetra, Estela Livelli.

Profissionais de 14 unidades hospitalares do Juruá participam da oficina. Foto: Marcos Santos/Secom

Promovida pela Rede de Atenção Materno e Infantil e pelo Departamento de Ensino e Pesquisa da Sesacre, a iniciativa conta com o apoio dos enfermeiros Walber Carvalho e Mikeias de Menezes.

Oficina amplia o conhecimentos dos profissionais sobre boas práticas na assistência ao parto e ao nascimento. Foto: Marcos Santos/Secom

“A oportunidade atualiza os profissionais e dá condições de prestar serviços de melhor qualidade às gestantes, sobretudo as do interior, que têm dificuldade de acesso a essas informações”, pontuou Mikeias de Menezes.

Com o uso de metodologias ativas, o aprimoramento aborda a importância e o uso adequado do partograma e da aromaterapia na obstetrícia, o sentido da aromaterapia no parto e no nascimento, a fisiologia do parto e nascimento e a livre movimentação, além de conceitos sobre práticas obstetrícias e sua importância na assistência ao parto, entre outras.

“Profissionais das 14 unidades hospitalares da região participam da oficina, que é de extrema relevância. Umas das prioridades do atual governo foi trazer, para os profissionais da Saúde do Juruá, capacitações que contribuíssem para a melhoria dos serviços prestados e elevassem a qualidade de vida da população. Foram, portanto, quatro anos de muito esforço e dedicação”, lembrou Catiana Rodrigues, coordenadora da Saúde no Juruá.

Saúde do Estado trabalhou incansavelmente para elevar a qualidade de vida da população. Foto: Marcos Santos/Secom