aperfeiçoamento

OCA inicia ciclo de capacitação de servidores

O governo do Acre, por meio das Centrais de Atendimento (OCA), visando sempre aprimorar a qualidade dos serviços, deu início na última terça-feira, 27, aos treinamentos presenciais às equipes de Xapuri e Rio Branco. O objetivo é levar informações e orientações atualizadas, padronizadas, com qualidade e segurança, com foco na desburocratização dos atendimentos e respeito ao cidadão, buscando sempre práticas inovadoras de atendimento com a máxima eficiência.

Capacitação visa atualização dos servidores e adequação de procedimentos. Foto: cedida

Todas as medidas de proteção contra a Covid-19 estão sendo tomadas, com a cautela que o momento demanda, começando pela readequação do cronograma das capacitações, que de anual passou a ser mensal, para evitar um número grande de participantes no mesmo ambiente.

A previsão de término para esta primeira fase está prevista para o dia 28 de maio. Um total de 22 agentes participam do treinamento, sendo dez em Rio Branco e 12 em Xapuri. A unidade de Cruzeiro do Sul, inaugurada recentemente, também será inserida no cronograma e receberá novas capacitações.

Em Rio Branco, 10 agentes participam da primeira fase de capacitação. Foto: cedida

“As capacitações são uma grande ferramenta de melhoria e inovação na prestação dos serviços, é o nosso compromisso constante com toda a população. Estamos sempre buscando conhecimento, aperfeiçoando nossas práticas e também ouvindo o cidadão nas suas necessidades, para que o serviço chegue sempre com qualidade e eficiência”, ressalta Francisca Brito, diretora técnica da OCA.

Francisca destaca ainda que, mesmo em pandemia, o trabalho de qualificação não parou: “Estamos com todos os cuidados, dividindo os colaboradores em turmas para que tudo aconteça com muita segurança para todos, pois nós nos preocupamos também em cuidar dos servidores”.

As temáticas apresentadas abordam 12 temas, são eles: acompanhamento dos atendimentos presenciais; análise e adequação de fluxos, principalmente de porta; ética no serviço público; política de atendimento e transformações sociais: uma discussão sobre o serviço público e suas mudanças; orientação sobre o uso adequado dos espaços comuns no contexto da pandemia; orientação e ajustes nas posturas e comportamento dos agentes; práticas de biossegurança; proposição de melhoria na tabulação de dados; informação tendo o guia como experiência de usabilidade e diretrizes; e diretrizes e comunicação no atendimento remoto.