Obras do PAC Saneamento farão do Acre um grande canteiro de obras

Na primeira etapa, 16 obras irão melhorar e ampliar o sistema de saneamento básico em Rio Branco e Cruzeiro do Sul

deas_900.jpgUm conjunto de 16 grandes obras começam nas próximas semanas em Rio Branco. São projetos de saneamento básico previstos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), cuja primeira fase será executada com investimentos de R$38,6 milhões, sendo R$21,6 milhões para Rio Branco e R$17 milhões para Cruzeiro do Sul. Os projetos foram mais uma vez avaliados nesta terça-feira pelo diretor  do Departamento Estadual de Águas e Saneamento (Deas), José Bestene, e pelo presidente do Serviço de Águas e Esgoto de Rio Branco (Saerb), Semy Ferraz. Em reunião na sede do Deas, os dois se fizeram acompanhar do engenheiro da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan) Petrônio Chaves. Regiões historicamente com problemas no abastecimento de água, como Irineu Serra e Custódio Freira, em Rio Branco, passarão a ter cobertura total dos serviços.

Em Rio Branco, as obras constam de ampliação da rede de distribuição do Segundo Distrito (R$2,1 milhões); reforço de redes primárias  do Setor Judia (R$2,1 milhões); complemento de reforço da rede primária do Setor Floresta (R$597 mil); segunda etapa da setorização na Floresta, Universitário, Central e Tucumã (R$921 mil); serviços de macromedição dos centros de reservação (R$2,050 milhões); Instalação de hidrômetros (R$3,3 milhões); sistema de abastecimento para os bairros Custódio Freire e Irineu Serra (R$1,8 milhão); implantação da rede  no setor Bem-Te-Vi (R$138 mil); substituição da rede de PVC classe 12 e fibrocimento para PVC Deforo no 1º Distrito (R$937 mil); implantação da segunda etapa da setorização em São Francisco, Horto Florestal e Judia (R$442 mil);e construção da  adutora e elevatória de água tratada da ETA Sobral 2 para o Centro de Reservação Comara (R$8,3 milhões).

Em Cruzeiro do Sul as obras são:  construção de uma captadora flutuante e auditora de água bruta (R$2,6 milhões); construção da ETA  (R$4,1 milhões); construção do sistema de captação flutuante e adutora de água tratada (R$3,4 milhões); construção de um centro de reservação (R$3,2 milhões) e ampliação da rede de anéis de distribuição e interligação (R$4,2 milhões). "Vai mudar tudo na vida das pessoas. Saneamento é qualidade de vida e até 2010 pelo menos 95% do Acre terá esse serviço", disse Bestene. "Essas obras dão confiabilidade ao sistema e expandem os serviços para regiões até então não atendidas", completou Ferraz.

 

 

Edmilson Ferreira
Agência de Notícias do Acre