Novo Fórum Criminal começa atendimentos no fim de janeiro

Nazaré Araújo e Roberto Barros cumprimentam trabalhadores que organizam em ritmo acelerado o Fórum Criminal (Foto: Sérgio Vale/Secom)
Nazaré Araújo e Roberto Barros cumprimentam trabalhadores que organizam em ritmo acelerado o Fórum Criminal (Foto: Sérgio Vale/Secom)

A governadora em exercício Nazaré Araújo e o presidente do Tribunal de Justiça (TJ), Roberto Barros, visitaram na manhã desta terça-feira, 13, o novo Fórum Criminal, primeira grande estrutura localizada na Cidade da Justiça. O prédio do Fórum foi entregue pelo governo e Judiciário no dia 12 de dezembro de 2014. Agora, o TJ organiza toda a estrutura interna e movelaria para que tudo comece a funcionar plenamente a partir do dia 27 de janeiro.

A comunidade forense e a sociedade civil vão passar a contar com uma Justiça mais ágil, moderna e eficiente. O Fórum Criminal tem cinco pavimentos, em mais de cinco mil metros quadrados, abrigará 12 unidades criminais da Comarca de Rio Branco e alocará 150 funcionários públicos, entre servidores e magistrados. A obra custou R$ 14 milhões, com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do governo do Estado e do próprio TJ-AC.

Nazaré Araújo ficou satisfeita em ver como o Judiciário tem se comprometido em levar a população acreana um serviço de grande qualidade. “A gente vê a qualidade com que o poder Judiciário, com o auxílio do poder Executivo, vai poder receber a população que vem aqui em momentos delicados. A organização do prédio, com separação dos acusados e das vítimas, a oportunidade da conciliação, tudo isso mostra um diferencial no serviço público”, conta Nazaré.

A Cidade da Justiça representa uma reformulação dos serviços do Judiciário acreano. Ao todo, o complexo terá seis blocos. Roberto Barros lembrou que a nova sede dos Juizados Especiais já está em construção e será o segundo bloco entregue. “Primeiro entregamos o prédio junto com o governo e agora estamos equipando-o. Nossa perspectiva é que funcione dia 27 de janeiro, resultando na primeira etapa de funcionamento da Cidade da Justiça em Rio Branco”, relata o presidente do TJ-AC.

 

A Cidade da Justiça representa uma reformulação dos serviços do Judiciário acreano (Foto: Sérgio vale/Secom)
A Cidade da Justiça representa uma reformulação dos serviços do Judiciário acreano (Foto: Sérgio vale/Secom)