Prevenção e proteção

No Govcast, Patrulha Maria da Penha e prevenção da violência doméstica são destaque

A atuação da Patrulha Maria da Penha, políticas públicas, o enfrentamento e a prevenção da violência doméstica foram pautas abordadas no Govcast, o podcast do governo do Acre, desta quinta-feira, 28. Com a participação da titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), delegada Elenice Frez, e da coordenadora da Patrulha Maria da Penha, capitã Priscila Siqueira.

Tanto a Patrulha Maria da Penha como a Delegacia da Mulher compõem a rede de acolhimento que atende mulheres vulnerabilizadas, a qual opera com a cooperação do Estado, demais instituições e sociedade civil. Foto: Carlos Alexandre/Secom

O programa, de conteúdo informativo sobre as ações e serviços do governo do Acre, foi gravado nos estúdios da Rádio Aldeia, em Rio Branco, apresentado pelos jornalistas Jefson Dourado e Diego Gurgel,  com transmissão no Youtube, redes sociais do governo e nas rádios Aldeia FM e Difusora Acreana.

Em setembro, a Patrulha comemorou 4 anos de atuação no estado do Acre, um programa criado para proteger e promover a prevenção da violência doméstica. Na conversa, foi celebrado o trabalho, que já prestou mais de 12 mil atendimentos em todo o estado, oferecendo apoio direto a mais de 3.500 mulheres em busca de ajuda e orientação para romper o ciclo de violência em suas vidas.

No dia 17 de setembro a Patrulha Maria da Penha comemorou 4 anos de atuação no estado do Acre. Foto: cedida

Outro fato exaltado foi o empenho da Delegacia da Mulher, localizada no Segundo Distrito da capital, com atendimento 24 horas, atendendo, além de Rio Branco, os municípios de Bujari e Porto Acre. Com uma estrutura adequada, é buscado prestar o amparo necessário para melhor atender mulheres e crianças em situação de vulnerabilidade.

A Delegacia da Mulher atende diariamente por volta de 12 mulheres. Foto: Felipe Freire/Secom

Elenice Frez enfatizou: “O governo do Acre tem investido constantemente, obtendo melhorias nos serviços e capacitando seus servidores, tudo isso com o objetivo de garantir uma atuação eficaz e um acolhimento humanizado às mulheres e meninas que tiveram seus direitos violados, facilitando seu acesso à justiça”.

A capitã Siqueira conta: “Tenho uma grande satisfação pessoal em ver mulheres rompendo os ciclos da violência com a ajuda do nosso trabalho”. Foto: Carlos Alexandre/Secom

A coordenadora da patrulha acrescentou: “Trabalhamos incansavelmente para eliminar a violência doméstica, reunificar famílias e promover a paz na sociedade. Para alcançar esse objetivo, contamos com uma estrutura atuante, mas também dependemos da colaboração da sociedade. Você também pode contribuir para o fim da violência doméstica, denunciando”.

Caso você esteja ou conheça alguém que está sofrendo violência doméstica, denuncie de maneira gratuita e anônima por meio dos seguintes contatos:

  • Central de Atendimento à Mulher: Ligue 180
  • Disque Denúncia: Ligue 181
  • Polícia Militar: Ligue 190
  • Disque Direitos Humanos: Disque 100