Boa notícia

No Bujari, Gladson Cameli entrega primeiros cartões do programa Auxílio do Bem

Das mãos do governador Gladson Cameli, a dona de casa Alice de Souza Almeida, do Bujari, foi a primeira cidadã a receber o cartão do programa Auxílio do Bem, com o crédito antecipado de R$ 300,00. A ajuda financeira chega em boa hora e é um alento para milhares de famílias acreanas afetadas pela pandemia do coronavírus.

“Eu já tinha tentado receber algum tipo de auxílio e não tinha conseguido nada. O cartão vai ajudar muito a colocar a comida na mesa para mim e os meus filhos. Gostaria de agradecer e dizer que jamais vou esquecer isso que o governo está fazendo pelos mais humildes”, declarou.

Alice Souza foi a primeira beneficiária a receber o cartão do Programa Auxílio do Bem. Foto: Diego Gurgel/Secom

Mauro César dos Santos também recebeu o cartão. Desempregado desde o ano passado, o morador do Projeto de Assentamento Walter Acer relata que estava passando por dificuldades para conseguir sustentar a família. O recurso disponível será fundamental para a aquisição de alimentos.

“No momento, estou sem renda nenhuma e o cartão vai ajudar muito nos próximos meses. Na minha casa, sou eu, minha esposa e um casal de filhos. Esse dinheiro vai ser muito importante para comprar a feira no mercado”, afirmou.

Mauro César foi um dos contemplados com o recebimento do cartão, no Bujari. Auxílio será de R$ 450,00 Foto: Diego Gurgel/Secom

Nesta segunda-feira, 19, a gestão do governador Gladson Cameli fez história na área da assistência social. O Auxílio do Bem se consolida como o primeiro programa estadual de transferência de renda do Acre e pretende alcançar 18.880 famílias e entidades não governamentais.

A distribuição do cartão foi iniciada no Bujari e vai se estender aos 22 municípios acreanos. Cada beneficiário receberá R$ 450,00, que poderão ser parcelados em até três vezes. Ao todo, o recurso investido no programa social é de R$ 9,5 milhões.

No caso das organizações da sociedade civil, cada pessoa atendida por essas entidades receberá R$ 345,00, divididos em parcelas mensais de R$ 115,00. Na solenidade, Pâmela Camargo, representante da organização filantrópica Jocum (Jovens com uma Missão) recebeu um cartão. A instituição cristã mantém, no estado, quatro casas de acolhimento para crianças e adultos em situação de vulnerabilidade social.

Entidades não governamentais também foram contempladas no programa. Pâmela Camargo (camisa azul), representante da Jocum, recebeu o cartão.  Foto: Diego Gurgel/Secom

“O auxílio vem para somar neste tempo de necessidade. Nossas casas de acolhimento funcionam graças a ajudas e doações para manter o trabalho que desenvolvemos com cerca de 15 pessoas”, frisou.

“A fome é outra pandemia que precisamos eliminar”, afirma Cameli

Em seu discurso, o chefe do Poder Executivo realçou a necessidade do programa para amparar as famílias mais vulneráveis socioeconomicamente. Segundo Gladson Cameli, a ajuda surge em um dos momentos mais difíceis da pandemia de Covid-19.

“O cartão vai ser muito importante para colocar comida na mesa de muitas famílias neste momento difícil. A fome é outra pandemia que precisamos eliminar. Importante ressaltar que o nosso auxílio, em comparação com outros estados, está entre os maiores do país”, observou.

Com Auxílio do Bem, gestão de Gladson Cameli é a primeira a criar um programa estadual de transferência de renda. Foto: Diego Gurgel/Secom

Gladson aproveitou a oportunidade e solicitou o apoio da população para denunciar possíveis irregularidades, sobretudo de pessoas que recebam o auxílio de maneira indevida. “Peço o apoio de todos para fiscalizar e, caso seja necessário, denuncie. Afinal de contas, é dinheiro público. Apesar de estarmos tomando todos os cuidados para que isso não aconteça, não vamos aceitar que ninguém seja prejudicado”, pontuou.

A secretária de Assistência Social, Direitos Humanos e Políticas para Mulheres, Ana Paula Lima, argumentou sobre os esforços do governo do Estado para superar a pandemia e auxiliar a população de baixa renda. “A pandemia fragilizou todas as classes sociais e evidenciou mais ainda as famílias que estão vulneráveis. Sabemos que o momento é desafiador e, por isso, precisamos buscar estratégias para que possamos minimizar o sofrimento da população”, disse.

Secretária Ana Paula Lima destacou os esforços do governo para alcançar as famílias mais vulneráveis durante a pandemia. Foto: Diego Gurgel/Secom

O evento, realizado na Escola Estadual São João Batista, contou com a participação do prefeito do município, Edvaldo Teles; do presidente da Câmara Municipal, vereador Luciano Costa; e dos deputados estaduais Cadmiel Bomfim e José Bestene.

A primeira compra

Com o cartão em mãos, a beneficiária Fiama Osório, acompanhada do governador Gladson Cameli, foi até um dos estabelecimentos cadastrados no programa realizar a primeira compra com o recurso do auxílio. Moradora da zona rural, a chefe de família confessou que o cartão será muito bem utilizado nos próximos meses.

Acompanhada do governador Gladson Cameli, Fiama Osório realizou a primeira compra com o cartão. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Eu estou desempregada e a situação não tem sido fácil para mim. Eu não tinha mais esperança de receber nenhum auxílio, mas a chegada desse cartão foi uma bênção. Tenha a certeza que vou saber usar cada centavo desse dinheiro para que ele possa render”, ressaltou.

Diferente de outros programas de transferência de renda, com o Auxílio do Bem não é necessário fazer o saque do dinheiro em uma agência bancária. Basta ir ao local credenciado e fazer a aquisição dos itens de primeira necessidade. Em cada município, pelos menos três estabelecimentos foram devidamente cadastrados para recebimento do cartão. Os interessados em se cadastrar para receber o cartão do programa Auxílio do Bem, devem procurar o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da sua localidade.

Critérios:

– Famílias/indivíduos não inseridos no Cadúnico e/ou cadastrados após a data de 21 de março de 2020;

– Todos os membros do grupo familiar devem estar sem vínculo de emprego formal ativo;

– Famílias com renda per capita de até R$ 178,00;

– Não estar recebendo assistências sociais ou previdenciárias, como programas de renda ou seguro desemprego, Bolsa Família, Benefício de Prestação Continuada;

– Não ter recebido Auxílio Emergencial financeiro do governo federal;

– Ser maior de 18 anos, salvo no caso de mães adolescentes a partir dos 16 anos.

Dados necessários para o cadastro:

– Documento oficial com foto;
– CPF;
– Comprovante de endereço recente;
– NIS (Número de Identificação Social, caso sejam inscritos no Cadúnico).