igualdade

Nazareth Araújo participa de lançamento da campanha Orgulho de Ser, do MPAC

Iniciativa faz parte do projeto “Ser diferente não é crime”, que tem como intuito conscientizar sobre a garantia de direitos (Foto: Val Fernandes/Secom)

O Ministério Público do Acre (MPAC) lançou na manhã desta sexta-feira, 18, a campanha Orgulho de Ser. A iniciativa faz parte do projeto “Ser diferente não é crime”, que tem como intuito a conscientização virtual, referente à luta para garantia da dignidade da pessoa humana do seguimento lésbica, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex (LGBTI).

A vice-governadora Nazareth Araújo participou e destacou que, ao lançar campanhas como essa, o Ministério Público mais uma vez demonstra que está fazendo algo que vem ao encontro de sua missão constitucional, que é promover a defesa dos direitos humanos, garantindo dignidade e cidadania, respeito ao ser humano, à diversidade de orientação de gênero, de pensamento e respeito a todas as pessoas, indistintamente.

“Como cidadãos, precisamos lutar contra a intolerância e o ódio. O estado democrático de direito e a Constituição brasileira defendem o direito à vida. Não podemos concordar com nenhum tipo de discriminação nem de intolerância. Ser diferente não é crime. Temos o direito de sermos felizes como somos, com igualdade de oportunidade para todos os seres humanos”, disse Nazareth Araújo.

O que disseram

“Esta campanha tem como objetivo anunciar que ser diferente não é crime. A ideia é trabalhar com a sociedade a questão do direito constitucional, sagrado, que é ter o direito de ser quem gostaríamos de ser, de nos expressarmos como queremos. A campanha busca mostrar que todos têm o direito de buscar a felicidade e de serem aceitos como são.”

Procuradora Patrícia Rêgo – coordenadora do Centro de Atendimento à Vítima (CAV)

“Temos que lutar contra a intolerância. Muitos que estão aqui sofrem discriminação e são obrigados a viver na invisibilidade. Temos que lutar por uma sociedade justa, de igualdade de direitos. Hoje o MP está nos proporcionando uma vida com mais oxigênio, com mais igualdade, liberdade e fraternidade. É nessa plataforma de positividade que temos que avançar.”

Germano Marino – coordenador de Promoção de Cidadania da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh)

“Quero agradecer o MPAC pela iniciativa de lançar esta campanha. Nós, que sofremos discriminação no dia a dia, ficamos muitos felizes com o apoio que temos tido desta instituição, com ações que vão ao encontro da não discriminação e do respeito ao ser humano. Nossa vida não é fácil. Ações como estas são o primeiro passo para vivermos uma sociedade mais justa e igualitária. Se não combatermos a homofobia, nunca teremos uma sociedade melhor.”

Antonella Albuquerque – presidente da Associação de Travestis e Transexuais do Acre (Attrac).