Nazaré Araújo reforça pedido para que pessoas sejam voluntárias

Ao todos são 1.713 famílias acolhidas em abrigos públicos (foto: Luciano Pontes/Secom)
Ao todos, são 1.713 famílias acolhidas em abrigos públicos (foto: Luciano Pontes/Secom)

A enchente em Rio Branco ainda atinge 18 bairros na capital. E para garantir o funcionamento dos oito abrigo,s são necessárias, para cada turno, mais de 130 pessoas trabalhando voluntariamente.

A vice-governadora Nazaré Araújo reforçou o pedido de que as pessoas se mobilizem para o trabalho voluntário nos abrigos. “Como o rio ainda se mantém acima da cota normal, nós precisamos de voluntários nos abrigos. Algumas pessoas, que são voluntárias desde o início da enchente, já demonstram cansaço, por isso, é importante que novos voluntários se apresentem. O momento é de muita união e, principalmente, de apoio para quem teve que deixar sua casa”, observa Nazaré Araújo.

Em reunião na sala de situação, vice-governadora fez chamamento a população (Foto: Val Fernandes/Secom)
Em reunião na sala de situação, a vice-governadora fez chamamento à população (Foto: Val Fernandes/Secom)

Ao todos, são 1.713 famílias abrigadas no Ginásio do Sesi, Sesinho, Sesc Bosque, Sest Senat, Parque de Exposições, Belo Jardim Rural e nas escolas Armando Nogueira e Zuleide Pereira.

Além do trabalho normal nos abrigos, existe a necessidade de equipes de recreação para interagir com as crianças. O apelo foi feito mais uma vez na reunião da sala de situação que acompanhas ações na capital e interior.

“Quem quiser ajudar pode se dirigir direto aos abrigos, conversar com o coordenador ou entrar em contar por meio do email elineide.medeiros@gmail.com. Pode também ligar para os telefones 8401-3832 ou 9283-3581, e nós fazemos uma escala para combinar o melhor horário. Pedimos aos jovens e às igrejas que possam colaborar”, pontua Elineide Medeiros, responsável pelo trabalho voluntário nos abrigos.