Mulheres do campo e floresta visitam unidade móvel

A Unidade Móvel faz parte do programa nacional “Mulher, Viver Sem Violência” (Foto: Maria Meirelles)
A Unidade Móvel faz parte do programa nacional “Mulher, Viver Sem Violência” (Foto: Maria Meirelles)

Indígenas, trabalhadoras e agricultoras rurais residentes dos 22 municípios acreanos visitaram nesta quarta-feira, 17, a Unidade Móvel de Acolhimento à Mulher do Campo e Floresta, gerenciada pela Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SEPMulheres). A visita foi na Praça do Palácio Rio Branco e faz parte da programação de encerramento da Oficina Estadual de Capacitação Projeto das Margaridas.

Oriunda das demandas propostas na última Marcha das Margaridas, a Unidade Móvel faz parte do programa nacional “Mulher, Viver Sem Violência” e busca a efetivação de um modelo de atendimento multidisciplinar composto por profissionais das áreas de serviço social, psicologia, atendimento jurídico e segurança pública, com foco nas necessidades de atenção das mulheres do campo e floresta.

Para a agricultora de Porto Acre Maria Sara da Silva, a Unidade Móvel é uma conquista das margaridas. “Estamos diante de um sonho concretizado. Vale a pena fazer parte desse movimento, que mobiliza milhares de mulheres para marchar por seus direitos, chamado Marcha das Margaridas”, disse.

Na ocasião, a secretária de Estado de Mulheres da Federação dos Trabalhadores em Agricultura do Acre, Fátima de Silva, entregou para a titular da SEPMulheres, Concita Maia, um documento contendo os resultados das demandas propostas pelas mulheres durante a Oficina de Capacitação. “Já conseguimos a unidade móvel, agora vamos marchar em busca das unidades fluviais para atender as mulheres ribeirinhas”, destacou.

“O Acre tem atuado de maneira contundente no enfrentamento à violência contra a mulher – prova disso é o trabalho da Unidade Móvel que tem sido desenvolvido no interior do Estado. A proposta é fortalecer esse serviço e implementar novos atendimentos, por meio das unidades fluviais”, ressaltou Maia.